POR CIDADÃO 08/11/2019 08:10

Botucatu tem a sexta Câmara mais econômica entre os municípios paulistas

Foto: Divulgação

Trinta reais e vinte e oito centavos, ou R$ 30,28. É isso que a Câmara Municipal de Botucatu custou para cada munícipe no último ano (setembro de 2018 a agosto de 2019). O valor é o sexto menor entre os 644 municípios do estado de São Paulo e ainda diminuiu em relação ao ano passado – em 2018, Botucatu aparecia como a oitava Câmara mais econômica para o cidadão e, agora, subiu duas posições no ranking do Tribunal de Contas do estado de São Paulo (TCE).

"Mais um ano nossa Câmara é destaque no quesito economia e eficiência, melhorando a posição no ranking estadual e custando ainda menos para cada botucatuense. O resultado positivo só reforça a importância de uma gestão que zela pelo bom uso do dinheiro público e de uma equipe de servidores e vereadores comprometidos em fazer a diferença", fala a diretora administrativa, Silmara Ferrari de Barros.

Estes e outros dados referentes às finanças das câmaras municipais paulistas (exceto capital) são disponibilizados pela ferramenta on-line Mapa das Câmaras, desenvolvida pelo TCE-SP. Nela, qualquer pessoa pode acessar informações de interesse sobre o assunto, como gasto per capita, quantidade de vereadores e despesa líquida com pessoal e custeio.

 Economia e sustentabilidade

Além de estar entre as mais econômicas no gasto per capita, Botucatu ainda se destaca pelo valor enxuto de seu orçamento total. Hoje, a despesa líquida com pessoal e custeio do Legislativo é de aproximadamente R$ 4 milhões e 300 mil para a cidade que tem cerca de 144 mil habitantes. Atibaia, por exemplo, que tem 141 mil habitantes gasta mais do que o dobro: R$ 11 milhões e 750 mil; e Santana de Parnaíba, com 136 mil habitantes, gasta R$ 21 milhões e 477 mil, praticamente cinco vezes mais que Botucatu.

Entre os fatores que contribuem para o excelente resultado obtido destacam-se o quadro de servidores enxuto – 33 servidores ativos para o atendimento ao público e aos vereadores, que não contam com assessores individuais – e a adoção de práticas e políticas visando à modernização do serviço. Em 2019, por exemplo, foi implantado um programa interno de sustentabilidade que reduziu o uso de papel, utensílios plásticos, água e energia elétrica, ao mesmo tempo contribuindo com o meio ambiente e gerando impacto positivo nas finanças da Casa de Leis.

"É um orgulho receber a notícia de que conseguimos melhorar ainda mais nossa classificação no ranking da economia das Casas de Leis do estado de São Paulo. Fico feliz por estar à frente do Legislativo de Botucatu nesse momento, mas não posso deixar de dizer que este resultado é consequência do trabalho comprometido e responsável de todos. Que sigamos servindo à população e prezando pelo bem comum", finaliza o presidente da Casa, vereador Carreira.

(com assessoria)