ELEIÇÕES 2018 07/09/2018 22:26

Governador Márcio França visita Botucatu durante campanha

Foto: Nelson Camargo.

O governador do Estado de São Paulo, Márcio França (PPS), visitou Botucatu na noite desta sexta-feira, 7 de setembro, durante campanha eleitoral.

Ele foi recebido no aeroporto da cidade onde falou com a imprensa e depois discursou para apoiadores na Associação Atlética Botucatuense. Esteve ao lado do deputado estadual Fernando Cury e do secretário Estadual da Educação, João Cury Neto.

França comentou sobre a melhoria de números das pesquisas e que seus opositores "não sabem o que falam", citando João Dória e Paulo Skaf, com um tom mais crítico aos adversários, citando que ambos decoraram o que mandaram eles falarem, alegando ainda que os dois não têm experiência do exercício da função pública. "O exercício da função pública não é como antigamente onde poderia pegar uma pessoa famosa na cidade e lançar candidato a prefeito. Se você não tiver uma engrenagem de preparo e experiência, a tendência de dar errado é muito grande", disse à imprensa.

Márcio França também alegou que quem tem dinheiro não deve buscar a vida pública. "Eu falei em Franca e foi capa de jornal: que o melhor que eles podem fazer para a vida deles é perder a eleição. Se eles perderem a eleição, eles se salvam porque eles não têm noção. Quem tem patrimônio grande e se dedica a ganhar dinheiro nunca devia entrar na vida pública. É só você olhar meu jeito, a minha forma e verificar se isso parece com a deles. Eles não fazem por mal, não tem noção".

Criticou ainda privatizações da Sabesp ou aeroportos citados por candidatos que estariam falando dados sem saber, como de abrir dirante as 24 horas o porto de Santos, o que já acontece hoje.

O governador citou que São Paulo tem uma das maiores economias do mundo com 101 hospitais, 31 mil leitos, 450 mil universitários na rede gratuita de ensino, a maior rede do mundo.

Sobre o ataque a bancos em Bauru nesta semana, disse que houve reação da Polícia e hoje sargentos usam rifles em viaturas, pela primeira vez, e só por conta disso houve, disse ele, reação à altura.

Citando ainda que a PM tem efetivo de 83 mil, 23 mil civis, 5 mil da polícia técnica, e outras unidades. Comparou a segurança de São Paulo com índice de violência com queda em todos os crimes, como de homicídio de 7,1 frente a Miami com 12.0. "Mas não adianta falar disso porque a sensação é de insegurança", comentou, defendendo mais tecnologia e câmeras de alta precisão nas cidades, malhores salários, e que nunca vai se consertar a segurança sem gerar oportunidade a jovens, pois há 20 anos eram 40 mil presos e hoje são 230 mil presos.

Cada preso na Fundação Casa custa mais de 11,5 mil reais para todos os paulistas. Hoje são 8 mil apreendidos. Prometeu 80 mil vagas de trabalho para jovens que estão na idade de se alistar. Ele ainda prometeu a queda do valor nos pedágios.

Já passram por Botucatu também os candidatos ao governo do Estado, Paulo Skaf na pré-campanha e depois João Doria.

 

Curta o Facebook do Agência14News e fique por dentro das notícias de Botucatu e região: www.facebook.com/agencia14news

(Do Agência14News com Notícias Botucatu)