BOTUCATU 07/08/2018 21:02

Lona de proteção nem sempre é usada em caçambas que ficam lotadas durante o transporte

Caçamba no centro da cidade. (Foto: Agência14News)

Caçambas lotadas com materiais acima do limite e sem a lona de proteção obrigatória. Algumas empresas de Botucatu (SP) não respeitam a lei gerando riscos por onde o caminhão carregado passa, antes de chegar ao aterro de entulhos.

Um dos caminhões foi fotografado sem a lona, que deve ser usada para não deixar materiais, como tijolos, caírem na via, atingir veículos ou pessoas.

Um caso foi encontrado pela reportagem do Agência14News na Rua Visconde do Rio Branco em pleno horário comercial e dia de semana, no cruzamento com a R. Amando de Barros.

Não foi possível anotar o nome da empresa, mas o caso foi encaminhado para ser analisado na Secretaria Municipal do Verde.

O secretário municipal Marcio Piedade Vieira, o Caco, disse que faz um ano que vem sendo feito um trabalho para tentar minimizar os problemas com as caçambas na cidade.

Será feita contratação de uma empresa que tem recurso para monitorar onde cada caçamba está sendo usada.

Ele diz que hoje não só o transporte sem a proteção gera problemas em alguns casos, mas como tratam-se de caçambas abertas elas quando estacionadas em uma rua acabam sendo usadas pelos vizinhos e a quantidade de materiais ultrapassa o limite de lotação e com isso caem objetos nas ruas.

Uma das propostas, diz ele, é estimular o dono da empresa de caçamba que ao levar o levar o material separado – como só galhos ou entulhos de construção – crie-se algum tipo de vantagem, pois nesse caso seria possível gerar um reaproveitamento.

Dois Eco Pontos também devem ser colocados em prática para que pequenas quantidades de materiais sejam levadas por moradores.

Um dos empresários da cidade que foi ouvido pela reportagem e não quis gravar entrevista disse que a lona existe para proteção, mas nem sempre todos usam.

A lei municipal que trata do assunto diz que em caso de descumprimento da lei em relação à lona e limite de lotação pode gerar multa de 100 UFIRs, podendo o empresário responder por danos a terceiros.

A empresa deve quitar em 30 dias a multa aplicada com risco de perder a licença de atuação. Os materiais devem ser depositados em local indicado pela Prefeitura em diferentes pontos de forma que não venha causar prejuízo ao trânsito. Ainda é exigido ter os telefones da empresa com a descrição “reclamações”.

 

Curta o Facebook do Agência14News e fique por dentro das notícias de Botucatu e região: www.facebook.com/agencia14news

(do Agência14News com assessoria)