PORTAS AZUIS 15/05/2019 16:11

Psicóloga Liége Martins tira dúvidas sobre o autismo

Hoje, temos a participação da profissional Liège L. Martins (Psicóloga, CRP 06/128717) nos trazendo um pouco mais de informação.

Vamos começar com algumas dúvidas comuns sobre autismo:

1- Quando devo desconfiar de Autismo?
 Autismo é caracterizado como um transtorno no desenvolvimento, ou seja, qualquer comportamento que fuja da curva padrão (esta curva pode ser conferida na carteira de vacinação da criança) deve ser avaliado cuidadosamente por um profissional capacitado para que ele realize uma avaliação minuciosa e direcione os possíveis encaminhamentos para terapias de reabilitação. É importante saber diferenciar sintomas de atrasos de desenvolvimento das características que levam a um diagnóstico de Autismo.

2- Como funciona um diagnóstico clínico?
A avaliação clínica começa desde a chegada da criança ao consultório, onde o profissional observa a criança, como ele anda, sua interação com o ambiente, a interação com as pessoas ou se possui algum grau de agitação que interfira em sua funcionalidade.

3- Para que devo levar meu filho nas terapias?
O tratamento do TEA é basicamente feito por terapias. Assim que existe uma suspeita de transtorno do desenvolvimento, encaminhamos rapidamente para o serviço de reabilitação. Nem sempre esse paciente tem Autismo, pode ser uma regressão por outro motivo e que pode ser facilmente revertida.

4- Meu filho tem Autismo, quais os profissionais que devem acompanhá-lo?
Além de seguir um acompanhamento por uma equipe médica (Neuropediatra; Pediatra) a criança deve ser acompanhada (de acordo com sua necessidade) pela equipe de reabilitação, que engloba os serviços de Terapia Ocupacional, Fonoaudiologia, Psicologia, Fisioterapia e Psicopedagogia. LEMBRE-SE, não existe receita de bolo, cada caso é tratado individualmente necessitando de terapias e abordagens específicas, quantidades de sessões e profissionais específicos.
No autismo, há algo muito importante na intervenção que se chama: “Estimulação Precoce”! Sabe quando você observa que algo no desenvolvimento de uma criança não está seguindo um curso normal? Esse é o momento de buscar a intervenção precoce! Ela serve como um estímulo para as aquisições do desenvolvimento que não vem sendo construídas no tempo adequado.
Algumas alterações podem estar relacionadas aos aspectos motores, cognitivos e sociais, onde a criança foge dos marcadores que indicam a maturação para sentar, andar, falar, apontar, dar, atender comandos, brincar, interagir, aprender e realizar atividades diárias com autonomia.
Para identificar tais atrasos, podemos pensar que não é legal comparar crianças, pois sim, temos diferenças e algumas aquisições podem demorar UM POUCO mais para serem adquiridas, no entanto é importante, SIM observar se a criança destoa muito do grupinho da mesma idade.
Crianças com alterações no desenvolvimento apresentam um ou mais atrasos em algumas aquisições e isto chamará atenção dos pais e familiares. Ligar a anteninha para observar o desenvolvimento deles e buscar um trabalho voltado aos estímulos tais alterações é o mais importante no primeiro momento. Atrasos no desenvolvimento podem prejudicar que uma nova habilidade seja garantida. E isso faz muita diferença na vida deles!