DOENÇAS 11/09/2019 23:10

Secretaria da Saúde de Botucatu apura casos suspeitos de sarampo em crianças

Foto: Arquivo - Agência Brasil

A Secretaria de Sáude de Botucatu investiga casos suspeitos de sarampo em crianças neste mês de setembro.

Apesar de não haver nenhum caso confirmado, a secretaria informa que toma todas as medidas nos casos que estão sendo apurados.

Neste ano já são cinco casos suspeitos notificados, sendo que um foi descartado.

Uma criança de um ano, da cidade de Bofete está em isolamento no PS Infantil de Botucatu com suspeita da doença. "Comunicamos hoje a secretaria de saúde de Bofete para tomar as medidas necessárias por lá", destacou o secretário André Spadaro.

Também há o caso de um bebê de 11 meses de Botucatu que foi internado na terça-feira,10, no Hospital das Clínicas da Unesp, com suspeit da doençaa. Foram tomadas as medidas de bloqueio vacinal na creche que a criança frequenta, e esse trabalho deve ser concluído até esta quinta-feira, 12, quando cerca de 30 crianças serão vacinadas.

Os funcionários da unidade de educação infantil também deverão ser imunizados.

CASO IMPORTADO

Um estudante botucatuense contraiu sarampo em São Paulo. O caso foi notificado e confirmado na Capital. Depois de alguns dias, com os devidos cuidados de isolamento, foi para a casa dos pais em Botucatu para se recuperar.

QUEM DEVE TOMAR A VACINA?

Crianças de seis meses a 1 ano também podem receber a vacina contra o Sarampo em Botucatu. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, 800 bebês desta faixa etária seriam vacinados na Cidade e os pais devem levá-los à uma Unidade de Saúde.

O objetivo é intensificar a vacinação desse público alvo, que é mais suscetível a casos graves e óbitos. A medida também é uma resposta imediata do Ministério da Saúde ao aumento de casos da doença.

PROFISSIONAIS DA SAÚDE

Os trabalhadores da saúde têm um risco maior de exposição ao Sarampo e de transmissão do vírus a pessoas que potencialmente podem evoluir com agravamento e complicações.

Todos devem ter duas doses da vacina SCR – tríplice viral contra Sarampo, Caxumba e Rubéola. É fundamental a revisão imediata da situação vacinal para o Sarampo de todos os profissionais de saúde da cidade e a vacinação dos trabalhadores sem evidência de imunidade.

O SARAMPO

O Sarampo é uma doença grave causada por um vírus e altamente contagiosa. É transmitido da mesma forma que o vírus da gripe, de pessoa para pessoa, através do contato direto (aperto de mão) e pelo ar (tosse e espirros). O vírus pode ficar no ar ou em superfícies por horas. 

Principais sinais e sintomas do Sarampo:

Febre alta, acima de 38,5°C;
Dor de cabeça;
Manchas vermelhas, que surgem primeiro no rosto e atrás das orelhas, e, em seguida, se espalham pelo corpo.
Tosse persistente;
Coriza (corrimento no nariz);
Irritação nos olhos e conjuntivite;
Manchas brancas que aparecem dentro da bochecha;
Mal-estar extremo.

Casos graves de Sarampo - podem ter complicações como pneumonia e encefalite e ainda consequências que afetam a pessoa para o resto da vida, como cegueira, perda auditiva e danos cerebrais permanentes. 

Apesar de existir uma vacina segura, o Sarampo ainda causa mais de 100 mil mortes por ano no mundo, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). No Brasil, a doença havia sido completamente erradicada em 2016, mas voltou em 2018 devido à diminuição da cobertura de vacinação.         

A vacina tríplice viral, que protege contra Sarampo, Caxumba e Rubéola (SCR), é a única forma de prevenir a ocorrência destas doenças na população. Não existe tratamento específico contra o vírus do Sarampo, apenas sintomático e com antibióticos que podem ser prescritos pelo médico para tratar infecções nos olhos e ouvidos, bem como a pneumonia.  

Mais informações
Secretaria Municipal de Saúde
Rua Major Matheus, 07 – Vila dos Lavradores
Telefone: 3811-1100

(do 14News com assessoria)