REINALDO FILHO 29/05/2018 09:09

Fórmula 1, IndyCar nas 500 Milhas, NASCAR e Volta Rápida na Power Racing News!

Daniel Ricciardo vence em Mônaco no GP de número 250 da Red Bull

O GP de Mônaco teve apenas um nome em todos os dias de ação na pista: Daniel Ricciardo.

Neste domingo ele liderou do início ao fim a prova nas ruas do principado, permanecendo à frente até mesmo depois de voltar de seu único pit stop.

O australiano chegou a reportar problemas de potência durante o evento, o que fez o segundo colocado, Sebastian Vettel, se aproximar em algumas vezes, mas o alemão da Ferrari não conseguir estragar o fim de semana do australiano.

Lewis Hamilton, que também fez queixas à equipe, mas falando dos pneus, terminou na terceira posição. Kimi Raikkonen e Valtteri Bottas completaram o top-5.

Largando da última posição, Max Verstappen conseguiu chegar à zona de pontuação, finalizando a corrida em nono.

A largada para o GP de Mônaco foi limpa e Daniel Ricciardo manteve a ponta tranquilamente.

Os 11 primeiros mantiveram suas posições na primeira volta. Max Verstappen conseguiu subir duas posições, chagando à 18ª colocação. O holandês conseguiu mais um posto no quinto giro, ultrapassando Marcus Ericsson.

Ao mesmo tempo, a FIA anunciava uma punição a Sergey Sirotkin, que não tinha os pneus fixados até três minutos antes do início da prova. Com isso, o russo teve que pagar 10 segundos de stop and go.

Na 10ª volta, Lance Stroll apareceu com a asa dianteira e o pneu esquerdo danificados. O canadense foi para os pits para a equipe consertar o estrago. A essa altura, Verstappen já era o 14º colocado.

Hamilton fez sua primeira parada na volta 12, colocando ultramacios, na tentativa de permanecer na pista até o fim.

Vettel e Ricciardo fizeram suas paradas nas voltas 16 e 17, respectivamente, também optando pelo composto ultramacio.

A partir da 25ª volta, Ricciardo reportava falta de potência em seu carro. Com isso, Vettel se aproximou do australiano, mas aos poucos o ritmo da Red Bull voltava a afastar o alemão.

Em terceiro, Hamilton reclamava muito da granulação dos pneus, mas era acalmado pela equipe, que pedia para ele manter o ritmo.

Finalmente, na 49ª volta, Verstappen fez sua parada nos pits para colocar pneus hipermacios. O holandês estava em nono e retornou em 11º.

Com problemas de câmbio, Fernando Alonso foi obrigado a abandonar na 54ª volta. O espanhol retornava a Mônaco, depois de se ausentar em 2017 para fazer as 500 Milhas de Indianápolis.

Na 58, Verstappen manobrou sobre Sainz pela nona posição na chicane da saída do túnel. O espanhol reclamou que o holandês cortou caminho, mas os comissários não entenderam assim.

Na 72º volta, o piloto da casa, Charles Leclerc, perdeu os freios na saída do túnel e acertou em cheio a traseira de Brendon Hartley, sendo obrigado a abandonar e fazendo com que o neozelandês fosse aos boxes para fazer o mesmo. O safety car virtual foi acionado. 

Na volta, Ricciardo manteve boa distância para Vettel e garantiu a segunda vitória do ano. O australiano também havia triunfado na China.

Vettel confirmou a segunda colocação e Hamilton fechou o pódio.

 

TOP TEN de Mônaco

Pos.   Piloto                                    Equipe

01        Daniel Ricciardo                    Red Bull / TAG HEUER Renault

02        Sebastien Vettel                     Ferrari

03        Lewis Hamilton                      Mercedes

04        Kimi Raikkonen                     Ferrari

05        Valtteri Bottas                         Mercedes

06        Esteban Ocon                        Force India / Mercedes

07        Pierre Gasly                           Toro Rosso / Honda

08        Nico Hulkemberg                   Renault

09        Max Verstappen                    Red Bull / TAG HEUER Renault

10        Carlos Sainz Jr.                     Renault

 

O Canadá recebe a Fórmula 1 no dia 10 de junho.

 

Will Power vence as 500 Milhas de Indianápolis e leva 1 milhão de dólares para casa

Além dos demais adversários, os 33 pilotos da Indy tiveram de enfrentar um rival duro na 102ª edição das 500 Milhas de Indianápolis: o forte calor de mais de 30° C que fazia na hora da largada e quem superou todos eles foi Will Power.

O piloto da equipe Penske largou da terceira posição e após corrida marcada por oito entradas do safety car no Indianapolis Motor Speedway, cruzou a linha de chegada na primeira posição. A vitória foi a primeira do australiano na Indy 500 e 17ª da Penske.

O segundo posto ficou com o pole position, Ed carpenter, seguido por Scott Dixon, vencedor da Indy 500 de 2008.

Entre os brasileiros, apenas Matheus Leist completou a prova e cruzou a linha de chegada na 13ª posição. Helio Castroneves e Tony Kanaan bateram e abandonaram a prova.

E Logo na largada, Ed Carpenter, que pela terceira vez em sua carreira largou da pole position na Indy 500, acelerou forte e manteve a ponta, enquanto Will Power, terceiro do grid, tomava a segunda posição de Simon Pagenaud.

Mais atrás, Tony Kanaan, décimo do grid, fez uma boa largada e completou a primeira volta em sexto. Helio Castroneves manteve a oitava posição da largada, mas Matheus Leist caiu de 11º para 13º. 

Danica Patrick, que na Indy 500 deste ano dez sua despedida das pistas, não conseguiu largar bem e da sétima posição do grid caiu para o 12º posto. A partir da 14ª volta, Danica começou a reclamar pelo rádio que seu carro estava saindo muito de frente nas curvas e a piloto norte-americana começou a enfrentar dificuldades para segurar Leist, que a seguia de perto. 

Na 30ª volta os pilotos começaram a entrar nos pits para troca de pneus e reabastecimento e quem inaugurou os trabalhos foi justamente Danica, seguida por Kanaan. Duas voltas mais tarde foi a vez de Carpenter parar. 

Após todas as paradas, Carpenter conseguiu voltar à liderança, seguido por Kanaan, que escolheu bem a hora de parar para saltar da sexta para a segunda posição. Castroneves também se deu bem após as paradas e pulou de oitavo para quinto. Quem não deu sorte foi Leist, que acabou perdendo duas posições após seu pitstop, caindo de 12º para 14º. 

Na 48ª volta, James Davison, que não fazia uma boa corrida, há tempos reclamava que seu carro estava saindo muito de traseira e seguia lento na pista, foi atingido pelo carro de Takuma Sato, causando o abandono de ambos e acionando o safety car pela primeira vez.

Com o carro de segurança na pista, muitos pilotos aproveitaram para entrar nos pits e a liderança mudou para as mãos de Zachary Claman de Melo, que optou por ficar na pista, seguido por Carpenter em segundo e Kanaan em terceiro. 

Na relargada, autorizada na 55ª volta, De Melo acabou superado por Carpenter, que reassumiu a liderança, mas fechou a porta e conseguiu segurar Kanaan, mas pouco depois acabou ultrapassado, devolvendo o brasileiro à segunda posição. 

Três voltas mais tarde, Ed Jones rodou na entrada da reta oposta, bateu no muro causou a segunda bandeira amarela da prova. 

Na relargada, autorizada na 64ª volta, Kanaan grudou no vácuo de Carpenter, tomou a liderança das mãos do norte-americano. Pouco depois o brasileiro recebeu o troco e voltou para a segunda posição. 

A bandeira amarela tremulou pela terceira vez na 68ª volta, após Danica Patrick rodar também na entrada da reta oposta e bater no muro. Um final de prova amargo para a piloto que se despediu das pistas nesta Indy 500.

A relargada foi autorizada na 74ª volta e mais uma vez Kanaan fez bom uso do vácuo para tomar a ponta de Carpenter, mas desta vez o pole position não conseguiu dar o troco e o vencedor da Indy 500 de 2013 conseguiu se manter na ponta. 

Enquanto isso, Helio Castroneves seguia em quinto e Matheus Leist ganhava um posto e subia de 15º para 14º. 

Exatamente com metade da prova completada, Kanaan, que nove voltas antes tinha parado para trocar pneus e reabastecer, precisou voltar aos pits por causa de um pneu furado e caiu para 25º. 

Três voltas mais tarde, Zach Veach teve um princípio de incêndio em seu carro durante seu pitstop, mas tudo não passou de um susto, pois o fogo logo se apagou assim que o piloto voltou para a pista.

Com 109 voltas completadas e todos os pilotos tendo feito suas paradas, Will Power passou à liderança, com Carpenter em segundo e Pagenaud em terceiro. 

Faltando 61 voltas para o fim da corrida Sebasten Bourdais perdeu o controle de seu carro, bateu no muro na entrada da curva 4 e causou a quarta bandeira amarela. Com o carro de segurança na pista, Carlos Muñoz entrou para fazer seu pitstop e devolveu a liderança a Will Power. 

Na relargada, autorizada na 145ª volta, Power afundou o pé no acelerador para segurar a liderança, seguido por Ed Carpenter. Mais atrás, Alexander Rossi, que largou em penúltimo e fazia boa corrida de recuperação, acelerou forte e superou Sage Karam e Marco Andretti, praticamente ao mesmo tempo para assumir a sexta posição. 

Uma volta mais tarde, Helio Castroneves, então quinto colocado, rodou sozinho na saída da curva 4, bateu no muro e provocou a quinta bandeira amarela da prova. Pouco depois da relargada, autorizada a 46 voltas do final, Sage Karam escapou na saída da curva 4, bateu no muro e a bandeira amarela voltou a tremular, acionando o safety car pela sexta vez.

Faltando 38 voltas para o final, mais uma relargada foi autorizada e Power seguiu na ponta.

Enquanto isso, Alexander Rossi atacava Ed Carpenter na tentativa de assumir a segunda posição. 

Mais atrás, Tony Kanaan acelerou forte, ultrapassou Oriol Servià, Carlos Muñoz, Gabby Chaves, JR Hildebrand e saltou de 13º para nono. 

Faltando 12 voltas para o fim da prova, Tony Kanaan rodou, bateu no muro interno da pista e colocou o safety car pela oitava vez na pista. Com o abandono de Tony, o Brasil só ficou com Matheus Leist na pista, então 18º. 

Na relargada, autorizada a sete voltas do fim, Will Power acelerou forte, superou Oriol Servià e após as paradas de Jack Harvey e Stefan Wilson nos pits, ganhou a liderança e a vitória de presente.

 

TOP TEN da edição 102 das 500 Milhas de Indianápolis

Pos.   Piloto                                    Equipe

  1        Will Power                              Team Penske

  2        Ed Carpenter                          Ed Carpenter Racing

  3        Scott Dixon                            Chip Ganassi Racing

  4        Alexander Rossi                     Andretti Autosport

  5        Ryan Hunter-Reay                Andretti Autosport

  6        Simon Pagenaud                   Team Penske

  7        Carlos Munoz                         Andretti Autosport

  8        Josef Newgarden                  Team Penske

  9        Robert Wickers                      Schmidt Peterson Motorsports

10        Graham Rahal                       Rahal Letterman Lanigan Racing                

 

A Indy corre em The Raceway on Belle Isle, Detroit, já no próximo final de semana, com rodada dupla no sábado (02) e domingo (03).

 

Kyle Busch vence mais uma e agora é o único piloto a ter uma vitória em cada circuito da categoria

A NASCAR realizou neste domingo a prova mais longa do campeonato, as 600 Milhas de Charlotte, que contou com um segmento a mais, em comparação às outras provas (quatro, ao invés de três).

E em todas as chegadas, apenas um carro apareceu à frente, o #18 de Kyle Busch, que triunfou pela 47ª vez em sua carreira e conseguiu marcas importantes no campeonato e em sua trajetória na categoria.

Com a vitória, liderando 377 das 400 voltas, e os quatro segmentos vencidos, Busch somou mais oito pontos de playoff, ultrapassando Kevin Harvick, que amargou a última posição, após bater no muro depois de ter um pneu furado, recém passado por um detrito na pista.

Charlotte representava a última pista em que não havia vencido em provas oficiais – ele ganhou o All Star em 2017 – e agora ele se tornou o único piloto em atividade a ter este feito, desde 1981.

Martin Truex Jr. e Denny Hamlin deram à Toyota o domínio entre os ponteiros, seguido de Brad Keselowski e Jimmie Johnson, que conseguiu pela segunda vez no ano terminar entre os cinco primeiros, ele foi o terceiro colocado em Bristol.

 

TOP TEN em Charlotte

Pos.      Piloto                                                  Carro

  1. Kyle Busch                                      #18 Toyota Camry
  2. Martin Truex Jr.                               #78 Toyota Camry
  3. Denny Hamlin                                 #11 Toyota Camry
  4. Brad Keselowski                            #2 Ford Fusion
  5. Jimmie Johnson                            #48 Chevrolet Camaro SS
  6. Jamie McMurray                            #1 Chevrolet Camaro SS
  7. Kyle Larson                                      #42 Chevrolet Camaro SS
  8. Kurt Busch                                       #41 Ford Fusion
  9. Alex Bowman                                 #88 Chevrolet Camaro SS

  10        Ricky Stenhouse Jr.                     #17 Ford Fusion

 

A próxima etapa da CUP acontece em Pocono, no domingo (03).

 

Volta Rápida

- Fernando Alonso e Lewis Hamilton, pilotos da McLaren e Mercedes, respectivamente, reclamaram de que a corrida de Mônaco foi a mais chata e monótona da temporada. Problema para uma corrida que é disputada a 76 anos.

- Segundo Felipe Massa, o acidente sofrido por Max Verstappen nos treinos livres em Monaco não era necessário, pois Max não precisava atacar tanto a zebra como atacou, provocando a quebra de sua suspensão dianteira e a batida no muro.

- Tonny Kanaan e Hélio Castroneves,abandonaram a 102 Edição das 500 Milhas de Indianápolis depois de sofrerem acidentes. Tanto Kanaan quanto Helinho sofreram com a falta de aderência de seus carros, provocada principalmente pelas mudanças nos pacotes aerodinâmicos.  

 

Fale conosco, estamos esperando sua sugestão sobre matérias, críticas e comentários. Você, amigo leitor, é nosso principal combustível. Esta coluna é feita para você. Nosso e-mail à sua disposição 24 horas, 7 dias por semana é motor14news@gmail.com.

Parceiro: www.planetavelocidade.com.br

 

Uma boa semana, automaníacos. Até a próxima.

 

“Foi a corrida mais chata da temporada!” Fernando Alonso, sobre Mônaco

 

Reinaldo dos Santos Filho mora em São Manuel/SP, tem 49 anos, é jornalista especializado em automobilismo, administrador de empresas, escritor, piloto profissional e membro da Irmandade M.C.. Pai do Thiago Augusto, Roberta, Luís Guilherme e Giovanna.

Matéria sob responsabilidade do autor (Mtb 82.886/SP)

colunistas

POWER RACING NEWS 16/10/2018 09:20
REINALDO FILHO 02/10/2018 11:03
REINALDO FILHO 25/09/2018 10:16
REINALDO FILHO 18/09/2018 09:56
REINALDO FILHO 11/09/2018 12:54
REINALDO FILHO 04/09/2018 12:57
POWER RACING NEWS 07/08/2018 10:02
POWER RACING NEWS 24/07/2018 07:00
REINALDO FILHO 17/07/2018 06:00
REINALDO FILHO 10/07/2018 08:04
REINALDO FILHO 03/07/2018 09:02
REINALDO FILHO 19/06/2018 08:28
REINALDO FILHO 12/06/2018 09:33
POWER RACING NEWS 05/06/2018 08:55
REINALDO FILHO 22/05/2018 09:09
POWER RACING NEWS 01/05/2018 11:57
REINALDO FILHO 24/04/2018 08:44
REINALDO FILHO 17/04/2018 08:30
POWER RACING NEWS 10/04/2018 08:30
POWER RACING NEW 13/03/2018 08:37
Colunista 123