REINALDO FILHO 13/06/2017 09:17

Fórmula 1, IndyCar, NASCAR, Stock Car Brasil e MotoGP na Power Racing News

Fórmula 1 no Canadá, IndyCar Series no Texas Motor Speedway, NASCAR Monster Energy Cup em Pocono, Stock Car Brasil em Cascavel,  MotoGP em Barcelona, Copa Truck em Campo Grande/MS, novidades da semana da indústria automobilística e claro, nossa “Volta Rápida”. Power Racing News chegando na reta.

 

Fórmula 1 disputa o GP de número 50 do Canadá com pole e vitória de Lewis Hamilton

            Lewis Hamilton reinou na etapa 7 da Fórmula 1 em 2017, que comemorou o 50° GP do Canadá.

            Hamilton, fez a sua 65° pole na carreira e liderou todas as 70 voltas, vencendo pela terceira vez na temporada e alcançando sua sexta vitória no Circuito Gilles Villeneuve.

            Agora, o piloto da Mercedes baixou em 13 pontos sua distância para Sebastien Vettel, líder do campeonato. Vettel, com sua Ferrari, chegou na P4 após fazer uma corrida de recuperação.

            Valtteri Bottas, da Mercedes e Daniel Ricciardo, da Red Bull Racing, respectivamente P2 e P3, foram os únicos da frente a trocar os pneus ultramacios pelos macios em suas únicas paradas nos boxes: os demais calçaram compostos supermacios. Os três primeiros pararam respectivamente na 32ª, 24ª e 19ª volta.

            A prova sofreu duas interrupções. Na largada, Carlos Sainz, Toro Rosso, rodou após receber um toque lateralmente da Haas de Romain Grosjean, e acabou atingindo a traseira do Willians de Felipe Massa, provocando o abandono do piloto brasileiro, além do seu próprio.

            Pouco mais tarde, na volta 11, o Virtual Safety Car foi acionado para retirar da pista a Red Bull de Max Verstappen, que largou muito bem, pulando da P3 para a P2 e teve problemas mecânicos.      Verstappen, que na largada “arrancou” a asa dianteira de Vettel, e que com isso antecipou seu primeiro pit para a volta 6, para troca da asa dianteira e dos pneus. Vettel voltou à pista na P15 e “remou” até a volta 50, quando fez seu segundo e último pit, colocando novamente pneus ultramacios que o fez voar na pista, conseguindo terminar na P4.

            Vettel, de ultramacios, ganhou a P7 de Raikkonen, que também fez duas paradas, após o finlandês errar na última curva na 60ª volta.

            Depois, passou por Esteban Ocon e por Sergio Perez, ambos da Force India, nas voltas 66 e 68, respectivamente.

            Nico Hulkenberg, da Renault, chegou na P8.

            Lance Stroll, companheiro de Massa na Williams, correu em casa e conseguiu marcar seus primeiros pontos com o nono lugar.

            Romain Grosjean, Haas, terminou na P10, fechando a zona de pontuação.

            Fernando Alonso, McLaren, vinha na P10 para pontuar pela primeira vez no ano, mas mais uma vez o fraco motor Honda voltou a abrir o bico a três voltas do final.

            Pouco antes, na volta 64, Daniil Kvyat, Toro Rosso, abandonou. Kvyat, que recebeu uma punição por ter ficado parado no grid ao se começar a volta de apresentação e aquecimento, deveria largar dos boxes, mas ignorou a regra e largou do grid, originando sua punição.

 

Classificação final do 50° GP do Canadá

Pos.    Piloto                         Equipe

  1        Lewis Hamilton           Mercedes

  2        Valtteri Bottas             Mercedes

  3        Daniel Ricciardo         Red Bull/Renault

  4        Sebastien Vettel         Ferrari

  5        Sergio Perez              Force India/Mercedes

  6        Esteban Ocon           Force India/Mercedes

  7        Kimi Raikkonen          Ferrari

  8        Nico Hulkenberg        Renault

  9        lance Stroll                 Willians/Mercedes

10        Romain Grosjean       Haas/Ferrari

11        Jolyon Palmer             Renault

12        Kevin Magnussen      Hass/Ferrari

13        Marcus Ericsson        Sauber/Ferrari

14        Stoffel Vandoorme     McLaren/Honda

15        Pascal Wehrlein         Sauber/Ferrari

 

Não terminaram a prova:

Piloto                         Equipe                                               Causa

Fernando Alonso        McLaren/Honda                     problemas mecânicos

Daniil Kvyat                Toro Rosso/Renault               problemas mecânicos

Max Verstappen         Red Bull/Renault                    problemas mecânicos

Carlos Sainz               Toro Rosso/Renault               acidente

Felipe Massa              Willians/Mercedes                  acidente         

           

Veja como ficou o campeonato de pilotos e construtores após 7 provas.

Piloto                                     Pontos

Sebastien Vettel                     141

Lewis Hamilton                       129

Valtteri Bottas                           93

Kimi Raikkonen                       73

Daniel Ricciardo                      67

Max Verstappen                      45

Sergio Perez                            44

Esteban Ocon                          27

Carlos Sainz                             25

Felipe Massa                            20

Nico Hulkenberg                      18

Romain Grosjean                     10

Kevin Magnussen                      5

Pascal Wehrlein                         4

Daniil Kvyat                                4

Lance Stroll                                2

Jolyon Palmer                           0

Marcus Ericsson                        0

Fernando Alonso                        0

Antonio Giovinazzi                     0

Stoffel Vandoorne                      0

 

Equipe                                   Pontos

Mercedes                               222

Ferrari                                    214

Red Bull/Renault                    112

Force India/Mercedes              71

Toro Rosso/Renault                 29

Willians/Mercedes                    22

Renault                                     18

Haas/Ferrari                             15

Sauber/Ferrari                            4

McLaren/Honda                         0

 

            A Fórmula 1 volta a acelerar dia 25 de junho, no GP de Baku, no Azerbaijão.

 

IndyCar tem etapa turbulenta no Texas Motor Speedway

            Somente 6 dos 22 carros que largaram no Texas receberam a bandeirada de chegada na nona etapa da categoria, no Texas Motor Speedway.

            Em uma corrida cheia de bandeiras amarelas e quase 3h de duração, a vitória ficou com Will Power, da Penske.

            Power, vencedor pela segunda vez em 2017, assumiu a ponta pela primeira vez após a primeira rodada de pit stops. A partir de então, só a perdeu ocasionalmente, quando vinha lado a lado com outros pilotos e após a penúltima parada para Scott Dixon, Ganassi.

            Dixon, líder do campeonato, foi a maior ameaça a Power nas ultimas voltas.

            Mas Takuma Sato, Andretti, vinha em uma tentativa “kamikaze” para assumir a ponta e, numa manobra de tentativa de ultrapassagem, Dixon não sobreviveu ao “kamikaze” Sato San, e isso a cinco voltas do final. Assim, a prova terminou sob bandeira amarela.

            Tony Kanaan, Ganassi foi um dos personagens da corrida. O brasileiro foi considerado culpado pelo maior acidente da prova, tocando em James Hinchcliffe, Schmidt Peterson, com mais seis carros batendo: os dois pilotos da Schmidt, da Carpenter e da Dale Coyne, além de Ryan Hunter-Reay da Andretti.

            Kanaan esteve duas voltas atrás, mas as recuperou com as últimas sequências de amarelas, acionadas por precaução para que os pilotos pudessem trocar pneus. O brasileiro terminou numa inusitada P2.

            Simon Pagenaud, Penske, completou o pódio em terceiro. Alexander Rossi, Andretti/Herta, bateu na volta 37. Hélio Castroneves, Penske, que já havia se enroscado com Hinchcliffe e Sato nos boxes, se acidentou na volta 92 e seu companheiro de Penske, Josef Newgarden, bateu restando 47 voltas.

 

E ficou assim o grid de chegada da etapa do Texas da IndyCar

Pos.    Piloto                                                                        KIT

  1        Will Power                  Team Penske                        Chevrolet

  2        Tony Kanaan              Chip Ganassi Racing             Honda

  3        Simon Pagenaud       Team Penske                        Chevrolet

  4        Graham Rahal           Rahal Letterman Lanigan      Honda

  5        Gabby Chaves           AJ Foyt Enterprises               Chevrolet

  6        Marco Andretti           Andretti Motorsport                Honda

                       

            A Indy volta à pista no dia 25 de junho, no circuito misto de Road América, o mesmo onde é realizado a etapa dos EUA de Fórmula 1, o Circuito das Américas.

 

NASCAR Monster Energy Cup disputa o “Axalta presents the Pocono 400”, sua etapa 14

            Ryan Blaney venceu neste domingo a 14ª etapa, a “Axalta presents the Pocono 400”, Pocono. Foi sua primeira vitória na categoria e a primeira da equipe Wood Brothers desde 2011, quando ingressou na categoria. A Wood vence pela primeira vez após 122 provas disputadas.

            A corrida parecia decidida, com Kyle Busch na frente.

            “Buschinho”, piloto da Joe Gibbs, liderou 100 das 160 voltas, e repassou para a frente a 20 voltas do final, após pit stop de Brad Keselowski.

            Mas uma bandeira amarela causada por Kasey Kahne juntou o grid.

            Busch e Keselowski ficaram na pista, enquanto os demais foram aos boxes. Com quatro pneus novos, Blaney relargou em quarto, a 13 voltas do final, e restando 10 conseguiu deixar o líder para trás.

            Kevin Harvick fez o mesmo e foi para cima de Blaney, mas chegou na P2.

            Erik Jones, que trocou dois pneus, foi P3, seguido por Kurt Busch, P4, e Keselowski, P5. Kyle Larson, que venceu o segundo segmento, chegou em sétimo: Buschinho, vencedor do primeiro segmento da prova, terminou na P9.

            Marcada por 4 bandeiras amarelas, a corrida chegou a ser interrompida na 95ª volta, por dois incidentes distintos: Jimmie Johnson bateu forte no muro, após seu carro apresentar problemas nos freios traseiros, e Jamie McMurray, que com a batida de JJ também bateu no muro, teve seu carro incendiado. Sem maiores consequências aos dois pilotos a não ser ver seus carros dando “PT” e algumas dores pelo corpo, resultado da força “G” aplicada a seus corpos pela desaceleração brusca pela batida no muro. Ir de 350 km/h, aproximadamente, a 0 em segundos é uma desaceleração brutal.

Confira o TOP TEN de Pocono:  

Pos.    Piloto                                     Carro

  1        Ryan Blaney                           Ford Fusion #21

  2        Kevin Harvick                        Ford Fusion #4

  3        Erik Jones                              Toyota Camry #77

  4        Kurt Busch                              Ford Fusion #41

  5        Brad Keselowski                    Ford Fusion #2

  6        Martin Truex Jr.                     Toyota Camry #78

  7        Kyle Larson                            Chevrolet Camaro SS #42

  8        Chase Elliott                           Chevrolet Camaro SS #24

  9        Kyle Busch                             Toyota Camry #18

10        Matt Kenseth                          Toyota Camry #20

 

            Continuando com nosso comparativo das marcas, a Ford se recupera em um oval rápido, empatando com Toyota no nosso Top Ten, colocando, cada uma das marcas, 4 carros entre os 10. A Chevrolet, fecha os 10 primeiros com 2 carros.

            A NASCAR descansa até dia 26 de junho, quando volta ás pistas para a disputa da 16° etapa, no Sonoma Raceway, o GP “Toyota/Save Mart 350”, Sonoma.

 

Stock Car Brasil correu sua 4° etapa em Cascavel

            A quarta etapa mostrou 2017 deverá ser mais uma etapa das mais equilibradas  da Stock Car.            Na rodada dupla realizada em Cascavel, as estrelas que brilharam na pisa foram Max Wilson e Vitor Genz. O piloto da RCM Motorsport fez a pole e ganhou a corrida sem ser ameaçado. Já o gaúcho da Eisenbahn Racing Team, usou uma estratégia arriscada para ser o primeiro piloto do Rio Grande do Sul a conquistar uma vitória na Stock Car.

            Com um quarto lugar na primeira prova, e um sexto na segunda, Thiago Camilo foi o piloto que mais somou pontos e agora lidera o campeonato com 126 pontos; 14 de vantagem sobre o vice-líder Daniel Serra, que vê a aproximação de Átila Abreu na classificação, com 110.

 

Corrida 1

            Max Wilson mostrou realmente que o seu carro estava imbatível. Depois do bom aproveitamento nos treinos livres e de garantir a pole position, o piloto da RCM Motorsport venceu a primeira corrida da rodada dupla realizada neste domingo, no autódromo de Cascavel. Daniel Serra e Átila Abreu completaram o pódio da prova.

            Na largada, Max preservou a primeira posição, enquanto Daniel Serra saltou para segundo após ultrapassagem sobre Átila Abreu na curva do Bacião.

            Logo na sequência, Thiago Camilo também ultrapassou Átila, assumindo a terceira posição. Os três primeiros neste momento chegaram a se aproximar um pouco antes da janela para reabastecimento, mas nem mesmo a estratégia na parada nos boxes, foi suficientes para tirar o primeiro lugar de Max Wilson.

            “O carro estava muito bom e felizmente deu tudo certo para gente durante a corrida. Tenho que parabenizar o trabalho da equipe, sem eles não teríamos vencido hoje”, comentou Max.

 

Corrida 2

            A opção por preservar pneus e botões de ultrapassagem tem se mostrado a melhor estratégia dos pilotos que não estão na zona de pontuação na primeira corrida para a segunda prova da rodada dupla. Largando na 24ª posição no grid, Vitor Genz, da Eisenbahn Racing Team, aproveitou o pouco tempo na parada de reabastecimento para aparecer entre os primeiros e ultrapassar os adversários para conquistar sua primeira vitória na Stock Car.

            Marcos Gomes preservou a liderança na largada da segunda corrida, enquanto Galid Osman segurava a pressão de Felipe Fraga na briga pela segunda colocação. Pouco antes da janela para reabastecimento, Marcos Gomes e Felipe Fraga tiveram problemas no carro quase que ao mesmo tempo, obrigando a entrada do carro de segurança na pista.

            Mas o que realmente decidiu a corrida foi a estratégia. Com a combinação de preservar os botões de ultrapassagem e a rápida parada na janela para reabastecimento, que colocou Vitor Genz próximo da vitória que o levou para a 14a colocação no campeonato, com 37 pontos.

            “Cascavel é uma pista que sempre trouxe muita alegria para a minha carreira. São cinco anos de muita luta para estar na Stock Car. Não estava em um final de semana muito bom, mas sabia que tinha um carro rápido para a segunda corrida. Usei todos os botões de ultrapassagem na hora certa, até forcei algumas, mas como tinha uma boa estratégia de combustível, deu tudo certo e cruzamos a linha de chegada até com uma certa folga”.

            Uma verificação técnica após a disputa da segunda corrida em Cascavel, os comissários técnicos da CBA - Confederação Brasileira de Automobilismo, optaram por desclassificar o piloto Lucas Foresti, por uma irregularidade técnica em seu carro. Com isso o resultado da segunda prova foi alterado, assim como a classificação do campeonato.

           

            A Stock Car volta às pistas para a Corrida do Milhão, que acontece no dia 2 de julho, em Curitiba. Os ingressos já estão disponíveis no site da categoria.

 

 

 

 

 

MotoGP  correu em Barcelona, com festa italiana no pódio

            Andrea Dovizioso, piloto italiano “pilotando” a também italiana Ducati, obteve sua segunda vitória seguida na MotoGP neste domingo, estragando a festa espanhola em Barcelona.

            O piloto da Ducati chegou à frente de três pilotos da casa.

            Dovi, era quarto colocado nas voltas iniciais. Seu companheiro de equipe, Jorge Lorenzo, assumiu a liderança na primeira volta, ao passar pelo pole Dani Pedrosa, da Honda.

            No entanto, na volta 6, Lorenzo perdeu 3 posições praticamente de uma só vez, caindo para quarto, colocação que manteve até o final.

            Marc Márquez, Honda, assumiu a ponta. Isso até a oitava volta, quando Pedrosa passou para a frente: Dovizioso aproveitou para pular para segundo.

            A nove voltas do final, a Ducati passou pela Honda na reta, passou para primeiro e ali ficou até a bandeirada.

            Na volta seguinte, Márquez passou Pedrosa e garantiu a segunda posição.

            A Yamaha teve uma corrida fraca com suas motos de fábrica: enquanto as Tech 3 duelaram pelo quinto lugar, Valentino Rossi terminou em oitavo e Maverick Viñales, líder do campeonato, apenas em décimo.

 

TOP TEN  de Barcelona:

Pos.    Piloto                                     Equipe

  1        Andrea DOVIZIOSO             Ducati Team

  2        Marc MARQUEZ                   Repsol Honda Team

  3        Dani PEDROSA                    Repsol Honda Team

  4        Jorge LORENZO                   Ducati Team

  5        Johann ZARCO                     Monster Yamaha Tech 3

  6        Jonas Folger                           Monster Yamaha Tech 3

  7        Alvaro BAUTISTA                 Pull&Bear Aspar Team

  8        Valentino ROSSI                   Movistar Yamaha MotoGP

  9        Hector BARBERA                 Reale Avintia Racing

10        Maverick VIÑALES               Movistar Yamaha MotoGP

 

            A categoria “rainha” das motos disputa, em 25 de junho, a etapa de Assen, na Holanda.

 

Copa Truck e seu primeiro campeão: Beto Monteiro

            Beto Monteiro é o primeiro campeão da história da Copa Truck.

            A categoria, que estreou em 2017 com duas etapas em Goiânia, encerrou a Copa Centro-Oeste com duas corridas eletrizantes no final da manhã deste domingo em Campo Grande (MS).

            Com o quarto e o segundo lugares conquistados na etapa, o piloto da Iveco atingiu um total de 78 pontos, apenas cinco a mais que o vice-campeão, Regis Boessio.

            A vitória nas duas corridas foi de Felipe Giaffone, da Volkswagen.

            A tarefa de Beto, entretanto, não foi das mais fáceis. Largando apenas da 14ª posição na primeira prova, o pernambucano tinha de andar forte para somar bons pontos. E fez um início de corrida avassalador, ganhando cinco posições nas duas primeiras voltas, e recebendo a bandeira quadriculada na quarta posição, atrás de Giaffone, Adalberto Jardim e David Muffato, com Danilo Dirani e Regis Boessio fechando os seis primeiros que largariam em posições invertidas.

            Boessio saiu na frente, mas largou mal, abrindo caminho para Beto Monteiro assumir a ponta e caminhar para o título. Giaffone, entretanto, mostrou porque havia sido o piloto mais rápido do final de semana e foi escalando o pelotão até se aproximar e se aproveitar de um pequeno erro para ultrapassá-lo no final da reta oposta na sétima volta.

            O pernambucano não desistiu e sempre se manteve por perto. Tentou o bote nas voltas finais, e acabou cruzando a linha de chegada a apenas 0s2 do vencedor. “Tive de partir para o tudo ou nada na primeira corrida. Eu sabia que precisava somar muitos pontos nela para sair bem na segunda. Foi duro, tive que ultrapassar vários trucks. E na segunda foi também um pouco tensa, pois obviamente eu queria ganhar como eu fiz em Goiânia. No entanto, sabemos que o Felipe é um grande piloto e conta com um equipamento excelente. Tentei o máximo, meu truck estava meio dianteiro e o Felipe se aproveitou de uma escapada que eu dei – então ele está de parabéns”, disse.

            Roberval Andrade, que havia chegado a Campo Grande na liderança da competição após vencer uma das corridas de Goiânia, não conseguiu repetir o bom desempenho: teve de abandonar a primeira corrida com problemas mecânicos; largando dos boxes na segunda, conseguiu o oitavo lugar para ir a um total de 54 pontos e fechar o primeiro torneio da Copa Truck na quarta colocação.

            O segundo lugar de Beto na corrida, aliado à quarta posição conquistada por Boessio, foram suficientes para que Monteiro fosse declarado campeão da Copa Centro-Oeste, o primeiro dos três torneios regionais da Copa Truck.

            “É um título especial, grandioso, de uma categoria que está começando com força. É importante, e entramos para a história como os primeiros campeões. Minha equipe está de parabéns”, comemorou.

            Em Campo Grande, Felipe Giaffone fez sua estreia na Copa Truck. E chegou com tudo. Foi o mais rápido nos três treinos livres, cravou a pole position, venceu as duas corridas e fez a melhor volta em ambas. Somou todos os 51 pontos possíveis da etapa – terminou a Copa Centro-Oeste na sétima colocação da tabela.

            “Eu não me lembro de um final de semana tão bom assim na minha carreira. Foi perfeito, ainda mais pela segunda prova”, disse Giaffone, que com a inversão de grid saiu em sexto na corrida final. Eu tinha um caminhão bom, e se tudo corresse normalmente eu teria equipamento para ganhar a primeira; e a segunda eu não esperava vencer. Tivemos uma boa disputa ali eu e o Beto, e no finalzinho ele acabou dando uma atravessada, e foi quando eu consegui ultrapassa-lo na freada depois da reta oposta. Foi bacana demais”, concluiu.

            O paulista da Volkswagen já é visto como um dos favoritos no próximo torneio da Copa Truck.  O mesmo vale para Beto Monteiro. “Agora vamos ter a Copa Nordeste, onde vou correr em casa, então vamos com força total para levar essa também”, avisa.

            No dia 09 de julho, a categoria vai acelerar no autódromo de Caruaru, em Pernambuco, para definir o campeão do Nordeste duas semanas depois em Fortaleza (CE).

 

Mercado automobilístico: lançamentos da semana

            Renault Logan e Chevrolet Prisma travam hoje uma briga para ver quem será o líder de vendas em sua categoria, a de sedans compactos.

            E nessa briga, o Logan já saiu na frente: tanto no quesito acabamento interno quando na relação custo/beneficio.

            Comparando os dois modelos, o Logan é oferecido com o novo motor de 3 cilindros e 12v, de até 82cv (com Etanol), flex, nas versões Authentique (à partir de R$ 44.700,00) e Expression (à partir de R$ 48.050,00); já o Prisma, só disponibiliza a versão Joy, cujo design é do modelo 2016, antigo, equipada com (uma versão melhorada do) motor 1.0 de 4 cilindros e 8v, de até 80cv (com Etanol), flex, e câmbio de 6 marchas, manual.

            A Renault, famosa por levar suas atualizações nos modelos para todas as versões, mais uma vez não decepcionou e levou o Logan a um patamar muito acima do Prisma. Seu design é o mesmo das versões de topo do modelo, equipadas com motores 1.6 16v e câmbio automático. Já o Prisma, a versão Joy se diferencia das demais pelo seu design anterior ao das versões com outra motorização.

            Com isso, existe uma valorização um pouco acima do normal para o modelo.

            Analisando os números dos dois modelos disponibilizados pelos fabricantes, o Logan é sensivelmente mais econômico que o Prisma.

            Mas o que mais chama a atenção é para a falta de potência dos modelos. Em um cálculo rápido e lógico, para se movimentar carros cujo peso total em ordem de marcha ultrapassará 1.200 kg, motores com 80cv são inviáveis. Mesmo porque a falta de potência deverá ser compensada com uma boa dose de pé no acelerador, e isso significa mais combustível e maior consumo. Sem contar com uma dose extra de paciência para transpor subidas.

            Essa é uma boa opção de compra para quem não faz conta em ter um carro econômico mas pouco potente, nem em promover várias trocas de marchas durante o seu percurso.

            E em se falando em Renault, a marca lançou esta semana a versão “Racing Spirit” (espírito de corrida) do Sandero RS.

            Como já dissemos anteriormente, o Sandero RS foi desenvolvido pela divisão esportiva da Renault na França, a Renault Sport, responsável por todo desenvolvimento de carros de corrida pelo mundo, onde a marca participa de competições.

            O Sandero RS, cuja produção será pautada em apenas 1.500 unidades, identificadas por uma plaqueta com numero de fabricação e fixada logo abaixo da alavanca do freio de mão, conta  com os modernos pneus Michelin PS4, criados para as pistas.

            Outras novidades são a pintura personalizada, rodas de liga leve, aro 17”, pintura personalizada na cor preta com detalhes em vermelho, laterais com grafismo identificando o modelo, sem falar do potente e confiável motor 2.0 16v, de 150cv, a gasolina, acoplado a um câmbio manual de 6 marchas.

            Freios, suspensão e kit aerodinâmico foram mantidos do modelo RS. Foi mantida também as 3 opções de pilotagem, presentes em carros esportivos.

            Bem, para pilotos de finais de semana, que costumam se acabar nos “track days” pelos autódromos brasileiros, o Sandero RS vem sendo uma excelente opção. Custando somente R$ 63.400,00, o RS é um carro esportivo com preço de popular. A versão do RS, Racing Spirit, custa R$ 66.000,00. Os R$ 2.600,00 a mais pela última versão não cobriria se fossemos comprar os 4 pneus Michelin PS4. Certamente o jogo de pneus custa algo acima dos R$ 5.000,00.

            O Salão de Buenos Aires, famoso por apresentar ao mundo automobilístico veículos projetados e desenvolvidos no Brasil e fabricados na Argentina e outros países da América do Sul e que deverão ser exportados para outros países, foi palco da apresentação da Chevrolet Equinox.

            A Equinox, criada para brigar na categoria dos utilitários esportivos, que tem como campeão de vendas o Jeep Compass, ele deverá substituir a Captiva, que teve sua produção encerrada no final de 2016. Captiva era também fabricada na Argentina.

            Buenos Aires também foi palco da apresentação do Novo Ecoesport. A Ford apostou em uma reestilização mais profunda no modelo e estará disponibilizando o pré-venda para julho e entregas previstas à partir de agosto deste ano.

 

Volta Rápida

- Fernando Alonso continua no topo da mídia. Desta vez, seu companheiro de polêmica é Ralf Schumacher.

O campeonato europeu de kart acontece na Espanha neste fim de semana, na própria pista de kart de Alonso. Porém, Ralf, criticou-a. “Pela primeira vez desde que ingressei no kart novamente, sinto-me totalmente errado de correr em uma pista como essa”, disse Ralf, dizendo que o circuito é prejudicial a karts e coloca em risco a “saúde” dos pilotos.

Ralf poderia muito bem estar se referindo a um incidente ocorrido há algumas semanas, depois que um jovem foi morto enquanto corria pelo circuito. Mas, de Montreal, Alonso rebateu o ex-piloto de F1 quando soube sobre os comentários críticos.

“Eu acho que Ralf está fora das manchetes por muitos anos e precisa de alguma publicidade”, disse Alonso, piloto da McLaren-Honda. “Ele também tem uma pista de kart onde ele quer hospedar um evento de campeonato europeu, e talvez a FIA não esteja feliz com isso. Eu acho apenas que Ralf está quebrando, então ele pode precisar dizer aos seus pilotos que fiquem no asfalto. Talvez ele esteja ficando sem dinheiro”.

 

- O ex piloto inglês Jack Stewart, ex dono da extinta Stewart F1, onde Barrichello correu por 2 anos, que depois foi comprada pela Jaguar e após 2 temporadas fracassadas se retirou das pistas, completou 78 anos de vida na semana que passou. Parabéns a “Sir” Jack Stewart.

 

- A Fórmula E finalizou neste domingo (11) em Berlim a oitava etapa da temporada. A capital alemã recebeu duas corridas, nas quais Lucas di Grassi conquistou uma pole e um segundo lugar no sábado e um terceiro hoje. O brasileiro da ABT Schaeffler Audi Sport cruzou a linha de chegada a 10s8 do vencedor e principal rival na disputa pelo título, Sébastien Buemi.

A próxima etapa da Fórmula E, também em sistema de rodada dupla, acontece nos dias 15 e 16 de julho, quando a categoria dos carros elétricos visitará, pela primeira vez, a cidade de Nova York.

 

            Fale conosco, estamos esperando sua sugestão sobre matérias, críticas e comentários. Você, amigo leitor, é nosso principal combustível. Esta coluna é feita para você. Nosso e-mail à sua disposição 24 horas, 7 dias por semana é motor14news@gmail.com.

 

Uma boa semana, automaníacos. Até a próxima.


“Eu acho apenas que Ralf está quebrando, então ele pode precisar dizer aos seus pilotos que fiquem no asfalto. Talvez ele esteja ficando sem dinheiro”. Fernando Alonso, rebatendo as críticas de Ralf Schumacher, com relação a sua pista de kart onde será realizado o Campeonato Europeu de kart.

 

Reinaldo dos Santos Filho mora em São Manuel/SP, tem 48 anos, é jornalista especializado em automobilismo, administrador de empresas, escritor, piloto profissional e motociclista. Pai do Thiago Augusto, Luís Guilherme e Giovanna.

 

Matéria sob responsabilidade do autor (Mtb 82.886/SP)

colunistas

POWER RACING NEWS 12/12/2017 09:03
REINALDO FILHO 05/12/2017 10:15
POWER RACING NEWS 28/11/2017 08:53
POWER RACING NEWS 21/11/2017 08:31
REINALDO FILHO 07/11/2017 09:16
POWER RACING NEWS 31/10/2017 09:55
POWER RACING NEWS 23/10/2017 22:14
POWER RACING NEWS 17/10/2017 08:45
POWER RACING NEWS 10/10/2017 09:14
POWER RACING NEWS 02/10/2017 20:45
POWER RACING NEWS 19/09/2017 09:01
POWER RACING NEWS 12/09/2017 08:41
POWER RACING NEWS 05/09/2017 10:09
POWER RACING NEWS 29/08/2017 10:33
POWER RACING NEWS 22/08/2017 09:24
POWER RACING NEWS 08/08/2017 08:24
POWER RACING NEWS 01/08/2017 13:39
POWER RACING NEWS 25/07/2017 09:29
POWER RACING NEWS 17/07/2017 22:06
POWER RACING NEWS 11/07/2017 08:52
Colunista 123