POWER RACING NEWS 08/08/2017 08:24

Reinaldo Filho fala sobre Stock Car, IndyCar, Nascar, Moto GP e novidades da semana automobilística

Stock Car Brasil, IndyCar Series, NASCAR Monster Energy Cup, MotoGP, semana da indústria automobilística, “História da Indústria Automotiva Brasileira” e a “Volta Rápida”. Power Racing News deixando sua semana mais rápida.

Stock Car Brasil correu pela primeira vez no Vello Città, em Mogi Guaçu

            Felipe Fraga voltou a apresentar um bom rendimento e, assim como em Curvelo, venceu a primeira corrida da rodada dupla da Stock Car no Velo Città, realizada neste domingo (6).

            Entretanto, a vitória não veio sem tensão. Na largada, Fraga tocou na traseira de Átila Abreu e inicialmente foi punido com um drive through.

            William Lube, chefe da Cimed Racing, foi argumentar com a direção de prova, alegando que Fraga só encostou no carro de Abreu porque foi tocado. Os comissários aceitaram o argumento e cancelaram a punição ao atual campeão, que seguiu na liderança para triunfar na estreia do circuito localizado em Mogi Guaçu.

            Ao comentar a punição, Fraga - que ainda durante a corrida falou ao time, via rádio, que havia sido tocado - considerou correta a decisão dos comissários.

            "Foi um dos momentos mais inacreditáveis da minha carreira. Eu recebi uma punição, mas que foi tirada com justiça pelos comissários ainda durante a corrida", disse.

            Sobre a vitória, Fraga, que subiu para quarto no campeonato, destacou o trabalho do time, que fez a dobradinha, com Cacá Bueno em segundo. "Estou muito feliz e gostaria de agradecer minha família e todos da Cimed Racing. A equipe vem com tudo para lutar pelo título em mais uma temporada", completou.

            Para Átila Abreu, tudo deu errado na largada da primeira corrida da Stock Car no Velo Città. O piloto da Shell Racing foi tocado por Felipe Fraga e o pneu traseiro esquerdo estourou, levando o sorocabano aos boxes e para a última posição.

            Entretanto, Abreu conseguiu se recuperar durante a corrida e terminar em décimo, posição que deu a ele a pole para a segunda corrida, também realizada neste domingo (6). Aproveitando-se da posição, o piloto do #51 fez uma corrida segura e venceu pela primeira vez na temporada 2017.

            Após a vitória, Átila não escondeu a surpresa com o resultado."Nem o melhor roteirista de cinema conseguiria escrever que eu ganharia a segunda e não a primeira corrida. O fim de semana tinha começado muito bem, tive a pole position, mas depois do que aconteceu na primeira prova, com o pneu furado, o restante tinha tudo para ser uma tragédia", disse, para em seguida agradecer ao time pelo trabalho realizado.

            "Mas o importante é nunca perder a fé e ter confiança de que as coisas vão dar certo. Quero agradecer a Shell Racing, que me deu um carro perfeito e me acalmou e deu tranquilidade após os problemas. O trabalho da equipe foi perfeito e todas as decisões foram certas. Fui orientado a não gastar push na primeira prova e com isso tinha push para todas as voltas na segunda prova", afirmou.

            Por fim, o piloto da Shell Racing, que subiu para terceiro no campeonato com os resultados deste domingo, lamentou não ter descontado tantos pontos em relação aos líderes, mas fala em manter o momento para se aproximar da briga pelo título.

            "Não consegui descontar tantos pontos assim porque meus concorrentes foram bem, mas o campeonato é assim. Temos de descontar pouco a pouco até chegarmos à última etapa, com pontuação dobrada. Vamos tentar chegar em Interlagos no máximo uns 15, 20 pontos atrás. Velo Città, fique para sempre na Stock Car", completou.

            Depois da etapa do interior paulista, Daniel Serra saiu mais líder que nunca. Confira a classificação do campeonato:

 

Pos.     Piloto                                      Pontos

  1        Daniel Serra                           209

  2        Thiago Camilo                        192

  3        Atila Abreu                             167

  4        Felipe Fraga                           153

  5        Max Wilson                            147

  6        Cacá Bueno                           146

  7        Ricardo Mauricio                   131

  8        Rubens Barrichello                125

  9        Marcos Gomes                      108

10        Gabriel Casagrande                 99


            Próxima etapa da Stock marcará a volta da categoria à Curitiba, no dia 22 de outubro.

 

IndyCar Series em Mid-Ohio tem vitória de Josef Newgarden, da Penske

            A Indy deu continuidade em seu campeonato neste domingo (30), com o GP de Mid-Ohio. Pela terceira vez em 2017, a segunda seguida e a sexta na carreira, Josef Newgarden cruzou a linha de chegada em primeiro lugar.

            Will Power, que foi o pole position, perdeu a posição para o carro #2 e terminou logo atrás, a mais de cinco segundos de seu companheiro de equipe.

            Graham Rahal, colocou seu Honda entre os Chevrolets e terminou em terceiro, já que Simon Pagenaud foi o quarto colocado.

            Os brasileiros fizeram prova discreta. Helio Castroneves, que largou em quinto, finalizou apenas em sétimo.

            Tony Kanaan que já não contava com uma boa posição de largada, a 19ª, tentou fazer uma corrida de recuperação e foi apenas o 16º.

            Com os resultados, Newgarden agora é o novo líder da Indy, com 453 pontos e Helinho vem em segundo, com 446. Scott Dixon, que foi o nono em Mid-Ohio, deixa a liderança e caiu para a terceira posição, com 445. Kanaan é o nono, com 320.

TOP TEN de Mid-Ohio
Pos.    Piloto

  1        Josef Newgarden

  2        Will Power

  3        Graham Rahal

  4        Simon Pagenaud

  5        Takuma Sato

  6        Alexander Rossi

  7        Helio Castroneves

  8        Ryan Hunter-Reay

  9        Scott Dixon

10        Conor Daly


            A próxima etapa da Indy será em Pocono, dia 20 de agosto.

 

NASCAR Monster Energy Cup em Watkins Glen tem vitória de Martin Truex Jr.

            A prova de Watkins Glen, segundo e último circuito misto que a NASCAR visita no ano, viu uma batalha por aquele que conseguia economizar combustível da melhor forma. Coube a Martin Truex Jr. traçar a melhor estratégia e triunfar pela quarta vez em 2017.

            Perto dos 10 giros finais, ele saiu da liderança para a quarta colocação, diminuindo o ritmo e apostando em uma parada a menos. Viu seus adversários diretos pararem para um splash and go e segurou a pressão de Matt Kenseth, que vinha arriscando tudo para tentar a primeira vitória no campeonato.

            Kyle Busch e Daniel Suarez venceram os dois primeiros segmentos, com o #18, que foi o pole position da prova tendo problemas nos pits, após triunfar na primeira parte da corrida, finalizando somente em sétimo.

            Suarez, por sua vez, foi o terceiro colocado, conquistando o melhor resultado da carreira.         Denny Hamlin e Clint Bowyer completaram os cinco primeiros.

            Quem continua enfrentando grande má fase é Dale Jr., que teve problemas mecânicos, abandonou e amargou a última colocação.


TOP TEN em Watkins Glen
Pos.    Piloto                                     Carro

  1        Martin Truex Jr.                     Toyota Camry #78

  2        Matt Kenseth                          Toyota Camry #20

  3        Daniel Suarez.                       Toyota Camry #19

  4        Denny Hamlin                        Toyota Camry #11

  5        Clint Bowyer                          Ford Fusion #14        

  6        Kurt Busch                             Ford Fusion #41

  7        Kyle Busch                             Toyota Camry #18

  8        Ryan Blaney                          Ford Fusion #21

  9        A.J. Almendinger                   Chevrolet Camaro SS #47

10        Erik Jones                              Toyota Camry #77


            Em circuitos mistos a Toyota tem se mostrado um páreo duro. Hora não oferece perigo à Ford e Chevrolet mas as vezes é soberana. Em Watkins Glen, o último circuito misto da temporada, a Toyota colocou 6 carros no TOP TEN, contra 3 Fords e só 1 Chevrolet. Com isso, as marcas estão se equiparando em desempenho e colocações no campeonato.

            A próxima etapa da NASCAR Cup acontece em Michigan, no domingo (13), circuito que favorece os Ford, por ser a sede da equipe Penske.

 

MotoGP correu na República Tcheca com vitória de Marquez

            Marc Márquez venceu, neste domingo (6), o GP da República Tcheca, prova que abriu a segunda metade da temporada 2017 da MotoGP.

            Em uma prova que começou com pista úmida, o espanhol foi o primeiro a trocar de moto e se deu bem, vencendo com larga vantagem – mais de 12 segundos sobre Dani Pedrosa, o segundo.

            Maverick Viñales, que teve uma classificação abaixo do esperado, conseguiu se recuperar em meio ao caos e cruzou a linha de chegada em terceiro, completando o pódio. Valentino Rossi, apesar da demora em trocar de moto, conseguiu se recuperar e terminar em quarto.

            Com pista úmida, mas sem chuva, os pilotos fora para a largada com Lorenzo pulando para a primeira posição. Perdendo muitas posições já no fim da segunda volta, Márquez partiu para a troca de moto antes de todo o pelotão.

            Na pista, Rossi era segundo, com Dovizioso em terceiro e Zarco em quarto. No fim da terceira volta, o francês deixou o italiano para trás. Enquanto isso, sem o rendimento das voltas iniciais, Lorenzo foi superado por Rossi, que assumiu a ponta.

            Ao mesmo tempo, boa parte dos pilotos entrou para a troca de moto, enquanto Rossi, Zarco e Dovizioso ficaram na pista. A estratégia se mostrou equivocada para o trio. Quem acertou foi o atual campeão, que a 16 voltas do fim já tinha uma vantagem enorme na liderança – quase 20 segundos sobre Aleix Espargaró.

            Três voltas depois, Pedrosa apareceu com força para assumir o segundo lugar. Se na frente Márquez estava muito à frente, as demais posições estavam indefinidas. Viñales escalou o pelotão e, a oito voltas do fim, subiu para terceiro. Rossi também ganhou posições e foi para sexto.

            Faltando cinco voltas para o final, Rossi deixou Petrucci para trás e foi para quinto. Crutchlow era o próximo alvo. Arriscando tudo, o italiano lutou até a última volta e, antes da entrada no setor do estádio, Rossi atrasou a freada, colocou por dentro e superou o britânico para assumir o quarto posto.

            Na frente, Márquez colheu os frutos da acertada decisão de trocar a moto e venceu a segunda corrida consecutiva em 2017, com Dani Pedrosa cruzando em segundo, a mais de 12 segundos do companheiro de equipe.

            Viñales se recuperou da classificação ruim para completar o pódio, com Rossi em quarto, Crutchlow em quinto e Dovizioso em sexto. Danilo Petrucci, Aleix Espargaró, Pol Espargaró e Jonas Folger completaram o grupo dos dez primeiros em Brno.

            Com a vitória, Márquez chegou aos 154 pontos, abrindo 14 sobre Viñales. Dovizioso, a 21 do atual campeão, segue em terceiro, com Rossi em quarto, um ponto atrás do piloto da Ducati.


Grid final da MotoGP na República Tcheca
Pos.    Piloto                                     Equipe

  1        Marc Marquez                          Repsol Honda Team

  2        Dani Pedrosa                           Repson Honda Team

  3        Maverick Viñales                      Movistar Yamaha MotoGP

  4        Valentino Rossi                         Movistar Yamaha MotoGP

  5        Cal Crutchlow                           LCR Honda

  6        Andrea Dovizioso                     Ducati Team

  7        Danilo Petrucci                         OCTO Pramac Racing Ducati

  8        Aleix Espargaro                        Aprilia Racing Team Gresini

  9        Pol Espargaro                          Red Bull KTM Factory Racing

10        Jonas Folger                            Monster Yamaha Tech3

11        Alex Rins                                 Team Suzuki Ecstar     

12        Johann Zarco                           Monster Yamaha Tech3

13        Karel Abraham                         Pull&Bear Aspar Team Ducati

14        Jack Miller                               EG 0,0 Marc VDS Honda

15        Jorge Lorenzo                          Ducati Team

16        Scott Redding                          OCTO Pramac Racing Ducati

17        Tito Rabat                                EG 0,0 Marc VDS Honda

18        Sam Lowes                              Aprilia Racing Team Gresini

19        Andrea Iannone                       Team Suzuki Ecstar

20        Hector Barbera                         Reale Avintia Racing Ducati

 

Não competaram a prova:

Bradley Smith                          Red Bull KTM Factory Racing

Loris Baz                                 Reale Avintia Racing Ducati

Alvaro Bautista                         Pull&Bear Aspar Team Ducati

 

            A MotoGP volta à pista dia 13 de agosto, no GP da Aústria, na famosa pista Red Bull Ring.


Mercado automobilístico: lançamentos da semana

            A Volkswagen disponibiliza a linha 2018 do SUV Tiguan equipados com motor e câmbio do Golf.

            O carro, que está sendo movido pelo 1.4 turbo somente a gasolina, com 150cv de potência, vem bem menos equipado que a versão 2017.

            Famoso por ser o pioneiro do sistema de estacionamento autônomo, o Tiguan 1.4 ficará no mercado até a chegada de versões com outros motores e equipamentos.

            Mesmo com essa decadência em relação a motor e equipamentos, a Tiguan mantem bom acabamento, dirigibilidade e bom espaço para até 7 pessoas. Ainda possui opções de câmbio automático de dupla embreagem e 6 marchas, que também vem do Golf.

            Vale lembrar que o motor 1.4 deverá sair de linha em breve.

            JAC T40 é o novo SUV que a JAC trás para o Brasil tentando brigar com outros SUVs com jeitão de utilitários compactos.

            Com um acabamento refinado, o T40 parte de R$ 56.990,00 em sua versão de entrada.

            O T40 virá primeiramente equipado com motor 1.5 flex e câmbio manual, os mesmos do modelo T5. Uma versão com cãmbio CVT deverá vir somente em 2018.

            O Renault Kwid, lançado recentemente para substituir o Clio, chega com status de SUV compacto.

            Mas sua briga é com Fiat Mobi e VW Up!.

            A Renault cortou custos e abusou da simplicidade no acabamento e acessórios do Kwid. Tanque de 38 litros, acabamento simples, calotas imitando rodas de liga leve são itens que o deixam com preço de entrada de R$ 29.900,00.

            Mas, apesar de tudo, sua média na estrada, com gasolina, chega perto dos 15,6km/lt. Para quem quer economia sem se importar com luxo, o Kwid é uma excelente opção.

 

Volta Rápida

- Felipe Massa está disposto a continuar na F1 na próxima temporada, afirmando que “não vê motivos” para encerrar sua carreira na categoria.

O piloto de 36 anos inicialmente havia se aposentado da F1 ao fim de 2016, mas concordou em retornar à Williams após Valtteri Bottas assinar com a Mercedes.

Massa, que estreou na categoria em 2002 e que largou em 260 GPs, acredita que ainda está melhorando como piloto e que irá continuar na F1 caso tenha a oportunidade correta.

A Williams ainda precisa decidir quem será o parceiro de Lance Stroll em 2018, sendo que Massa está entre os candidatos a permanecer pela quinta temporada na categoria.

Questionado se a sua permanência dependeria de uma boa oportunidade, Massa disse: “Com certeza, sim. Estou em boa forma com minha pilotagem, a forma com que entendo o carro e tudo mais. Não tenho motivos para não permanecer na F1, mas vamos ver o que vai acontecer.”

Massa acredita que sua breve aposentadoria lhe permitiu retornar à F1 com uma mentalidade mais relaxada.

“Estou correndo de forma muito mais relaxada e estou feliz com o que faço dentro do carro. Infelizmente, tive azar em algumas corridas, mas estou gostando”, disse.

“Não pensar em outras coisas simplesmente te deixa mais tranquilo, fazendo o que gosto de fazer, aproveitando e estando sem pressão.”

- Ainda em situação indefinida para 2018, Valtteri Bottas tem um plano bem claro em sua mente: tentar a todo custo sua permanência na Mercedes. O finlandês afirmou que esta é a única possibilidade que considera no momento.

Bottas se juntou à Mercedes no início do ano, pouco após o anúncio surpresa de que Nico Rosberg se aposentaria depois de se consagrar campeão mundial. Contudo, o contrato do piloto é de apenas um ano, o que o deixa ainda sem saber o que fazer para a próxima temporada.

No entanto, satisfeito com sua performance apresentada até então, o piloto garantiu que só pensa em renovar. “Eu sinto que estou bem dentro da equipe e só tive retorno positivo. Então, não estou tão preocupado”, afirmou, em entrevista à revista alemãAuto Bild.

“Honestamente, não estou olhando para outras equipes. Quero começar uma longa relação com a Mercedes, então esta é a prioridade.”

Bottas já venceu duas provas em 2017, na Rússia e na Áustria. Atualmente ele ocupa a terceira posição no campeonato, 19 pontos atrás de Lewis Hamilton e 33 atrás do líder, Sebastian Vettel.

- A McLaren “fará de tudo” para garantir que Fernando Alonso fique na equipe na próxima temporada, garantiu o chefe de operações Jonathan Neale.

O bicampeão ainda não conseguiu um pódio desde que retornou à McLaren, em 2015, e seu contrato atual expira até o fim do ano.

Alonso indicou que tomaria a decisão sobre o seu futuro em setembro e a decisão certamente será influenciada pelos planos da equipe quanto aos motores.

A relação da McLaren com a Honda está tensa, com o time avaliando suas opções mesmo que Ferrari e Mercedes tenham deixado claro que não irão se tornar sua fornecedora de motores no ano que vem.

“Se eu colocasse minhas preferências pessoais em ação, adoraria ver Fernando na equipe. Sei que faremos de tudo que pudermos para mantê-lo, mas reconheço que ele terá escolhas – nada é dado de presente”, disse Neale.

“Acho que ele é um ótimo cara, um dos melhores pilotos com quem já trabalhei e eu adoraria tê-lo por mais tempo.”

Alonso registrou o melhor resultado da equipe nesta temporada na Hungria, com o sexto lugar, sendo que sua disputa (e consequente ultrapassagem) em Carlos Sainz um dos destaques da corrida.

“Se você olhar para o quão difícil é ultrapassar na Hungria e a manobra que ele fez em Sainz, aquilo foi ótimo. Ele tentou a manobra pela primeira vez, não conseguiu completá-la mas acertou da vez seguinte. Fazer isso de forma segura e limpa como ele fez é uma grande demonstração de sua habilidade e espírito de luta.”

- Apesar da incerteza sobre a situação da McLaren com motores e pilotos para 2018, Neale segue positivo com relação ao futuro da equipe.

“Estou encorajado com o futuro da McLaren. Muita coisa aconteceu nos últimos 12 meses. Estamos prontos para assumir o próximo passo para a McLaren. Nossos pensamentos estão começando a se voltar ao carro do ano que vem.”

“É claro que a situação do motor está nessa mistura. Temos que decidir tudo isso antes de setembro para que nossos pilotos saibam quais serão os planos.”

“Nenhuma decisão foi tomada. Estamos em diálogo com a Honda e vamos manter a FIA e a FOM próximas do que se passa. Estamos tentando fazer o certo para a F1, mas também tentando fazer o certo pela McLaren.”

“A McLaren é uma equipe que tem o dever de estar de volta à ponta. O esporte nos quer de volta à ponta. Queremos Fernando de volta à ponta.”

- Você pode nunca ter ouvido o nome de Ronnie Grant, mas sua história notável é contada em um pequeno filme feito pelo neto, Jamie, e narrado pelo filho, George.

Com 92 anos, dono de uma garagem e ex-taxista de Londres, Ronnie Grant perto dos 40 quando começou a correr.

Ele também era muito bom: venceu Brian Henton, que se tornaria piloto de F1, na etapa final do campeonato britânico de Fórmula Vee, em 1970.

No início dos anos 1970, Grant correu com um SuperVee Taurus projetado por John Barnard, com motores feitos por Patrick Head, e ele é o único piloto que já teve ambos os lendários diretores técnicos da F1 trabalhando em seu pit juntos.

Correndo puramente por diversão, ele esteve nas primeiras corridas de Ayrton Senna, Martin Brundle, Johnny Dumfries, Damon Hill, Johnny Herbert, Eddie Irvine, JJ Lehto e todos os outros grandes nomes que surgiram na década de 1980.

Histórias à parte, o breve documentário lançado esta semana capta o espírito e a personalidade de um homem notável e um personagem diferente.

"Que filme maravilhoso", disse Damon Hill no Twitter. "Excelente homenagem a um homem incrível. Tive a honra e o privilégio de correr com Ronnie. Deus te abençoe, Ronnie!"

- A Honda sempre foi a quarta força entre as fabricantes da F1, atrás da Mercedes, Ferrari e Renault, desde que se juntou à F1 em 2015.

Depois de mudar o conceito de motor durante o inverno, a Honda lutou por desempenho e confiabilidade neste ano, o que, por sua vez, prejudicou sua relação com a McLaren.

Mas os japoneses mostraram progressos em provas recentes, com a equipe marcando seus primeiros pontos no GP de Azerbaijão, e com os dois carros entre os dez primeiros na Hungria pela primeira vez.

"Acho que podemos manter o mesmo aumento do potência, mas é difícil chegar na Mercedes ou Ferrari", disse a Yusuke Hasegawa, chefe da Honda.

"Eu realmente quero a aproximação na Renault, em termos de desempenho, antes do final da temporada."

Quando perguntado se acreditava que seria uma possibilidade verdadeira, dado ao déficit de potência do fabricante japonês, Hasegawa respondeu: "Sim, posso ver isso nos dados. Não vou falar os números, mas estamos diminuindo a diferença."

Hasegawa acrescentou que este é o momento em que a Honda está mais próxima de seus rivais desde que se juntou à F1 em 2015. Isso ocorre depois que disse que o fim de semana do GP da Hungria foi o primeiro de 2017 em que não estavam preocupados com a confiabilidade.

Falando sobre o desempenho do motor na Hungria, Hasegawa disse: "O dirigibilidade foi boa, mas os pilotos ainda destacaram a falta de potência."

"Eles estão muito confiantes no carro, o que é bom, mas ainda é difícil desafiar as três principais equipes."

- Sebastien Bourdais voltou a um carro da Indy nesta segunda-feira (31). Pouco mais de dois meses após o grave acidente durante a classificação para a Indy 500 - quando sofreu fraturas na pélvis e no quadril - o francês pilotou o carro da Dale Coyne em um teste no circuito de Mid-Ohio.

Embora Dale Coyne, chefe do time, tenha descartado o retorno de Bourdais nesta temporada, o piloto andou com o carro da equipe nesta segunda. Ainda assim, o francês não quis falar em retorno, destacando que voltou a pilotar para avaliar o estado da recuperação.

"Eu não estaria aqui, voltando a pilotar, se não estivesse pronto. Mas no momento é apenas um teste, veremos como me saio, é um dia de avaliação", disse o francês antes dos trabalhos.

"Sei que depois daqui, os carros serão configurados para ovai. Os médicos disseram que eu poderia voltar ao carro no dia 15 (de agosto), mas que duas semanas não fariam tanta diferença."

"Fisicamente eu me sinto bem, então não custava aproveitar esta oportunidade, pois depois serão duas corridas em ovais e a agenda é apertada, o que não me permitiria ter uma oportunidade de testar", afirmou.

"A reabilitação virou malhação rapidamente e estamos vendo grandes progressos. Os rapazes em St. Pete que cuidam de mim estão fazendo um ótimo trabalho, estamos nos esforçando ao máximo. É bom voltar a andar de bicicleta e fazer coisas normais.

"Temos trabalhado na retomada da massa muscular e tem funcionado. Deste ponto em diante, o tempo para voltar a estar 100% tem diminuído rapidamente."

"Este é o grande ponto para mim. Uma vez que eu chegue ao ponto de ser capaz de andar normalmente, ter as sensações de volta, os músculos e estabilizar o quadril, tudo estará bem", completou.

- Kurt Busch não será mais piloto da Stewart-Haas em 2018. A equipe informou o piloto que não fará a renovação de contrato do atual vencedor da Daytona 500 e campeão da NASCAR de 2004.

O time do ex-piloto Tony Stewart e de Gene Haas tem até a meia noite desta terça-feira para fazer a opção de renovação do acordo, mas a expectativa é de que isso não deve acontecer.

Busch, de 38 anos, tem 29 vitórias na NASCAR Cup, 21 poles, 127 top-5 em 597 corridas. Ele foi o primeiro campeão da categoria quando adotou o sistema de Chase, hoje chamado de playoff.

Ele começou a fazer parte da principal divisão da NASCAR em 2001 e já teve passagens pelas equipes de Jack Roush e Roger Penske. Ostentando o #41 da Stewart-Haas, o piloto de Las Vegas conseguiu quatro vitórias, cinco poles e 21 top-5, nas últimas três temporadas.

Nas redes sociais, a equipe negou a saída de Busch, afirmando que ele estará no time para a próxima temporada.


Fale conosco, estamos esperando sua sugestão sobre matérias, críticas e comentários. Você, amigo leitor, é nosso principal combustível. Esta coluna é feita para você. Nosso e-mail à sua disposição 24 horas, 7 dias por semana é motor14news@gmail.com.

 

Uma boa semana, automaníacos. Até a próxima.

Faremos de tudo para que Fernando Alonso permaneça na equipe em 2018.” Jonathan Neale, chefe de Operações da McLaren, sobre a renovação de contrato com Fernando Alonso para 2018.

 

Reinaldo dos Santos Filho mora em São Manuel/SP, tem 49 anos, é jornalista especializado em automobilismo, administrador de empresas, escritor, piloto profissional e motociclista. Pai do Thiago Augusto, Luís Guilherme e Giovanna.

Matéria sob responsabilidade do autor (Mtb 82.886/SP)

colunistas

POWER RACING NEWS 10/10/2017 09:14
POWER RACING NEWS 02/10/2017 20:45
POWER RACING NEWS 19/09/2017 09:01
POWER RACING NEWS 12/09/2017 08:41
POWER RACING NEWS 05/09/2017 10:09
POWER RACING NEWS 29/08/2017 10:33
POWER RACING NEWS 22/08/2017 09:24
POWER RACING NEWS 01/08/2017 13:39
POWER RACING NEWS 25/07/2017 09:29
POWER RACING NEWS 17/07/2017 22:06
POWER RACING NEWS 11/07/2017 08:52
POWER RACING NEWS 04/07/2017 10:42
POWER RACING NEWS 27/06/2017 08:25
POWER RACING NEWS 20/06/2017 09:21
REINALDO FILHO 13/06/2017 09:17
POWER RACING NEWS 06/06/2017 09:19
POWER RACING NEWS 30/05/2017 09:01
POWER RACING NEWS 23/05/2017 09:48
POWER RACING NEWS 16/05/2017 08:19
POWER RACING NEWS 09/05/2017 08:38
Colunista 20