POWER RACING NEWS 19/12/2017 09:11

Copa Truck encerra seu primeiro campeonato e a temporada 2017 do automobilismo nacional em Interlagos

A Copa Truck conheceu, em Interlagos, seu primeiro campeão: Felipe Ziaffone

P1 e P3. Esses dois resultados escreveram Felipe Giaffone como o grande nome do ano de estreia da Copa Truck nas pistas brasileiras. O piloto da Volkswagen conquistou o regional Sul/Sudeste, terceiro e último da temporada, e de quebra levou também o anel de ouro e brilhantes que premiou o campeão das copas na soma dos pontos das três competições.

Num dia de calor intenso e ótimo público nas arquibancadas e áreas de convidados, Roberval Andrade (Iveco) inverteu os resultados de Giaffone e ficou com o vice das duas disputas em aberto, fechando em grande estilo um 2017 aberto com a pole e a vitória na prova inaugural da categoria em Goiânia.

Giaffone cumpriu uma campanha quase irretocável. Estreou ganhando as duas corridas na segunda etapa em Campo Grande, onde Beto Monteiro (Iveco) sagrou-se campeão da Copa Centro-Oeste.

Voltou a vencer uma prova tanto em Caruaru quanto em Fortaleza e ficou com o título do regional Nordeste. Chegou à liderança geral e da Sul/Sudeste depois da passagem por Tarumã (RS) e sacramentou o ano de sucesso em São Paulo com a quinta vitória.

Subiu ao pódio acompanhado dos filhos Nicolas e Tito. Debaixo de sol de rachar, lembrou que o trabalho realizado ao longo das duas baterias foi literalmente suado. “A temperatura aumentou demais hoje e fiquei o tempo todo preocupado em olhar os relógios. Também recebia informações sobre a posição do Roberval, já que ele era meu único adversário pelo título das copas”, lembrou. Giaffone saiu na pole na primeira bateria e só deixou a ponta brevemente ao ser ultrapassado pelo parceiro Paulo Salustiano, mas recuperou a posição na mesma volta.

Na segunda, largou em oitavo pelo sistema de grid invertido e foi beneficiado por quebras e punições de pilotos que iam à frente. E foi administrando sua corrida que terminou em terceiro grudado no companheiro Renato Martins.

Giaffone lembrou que o fim de semana terá um significado especial em sua longa e vitoriosa carreira. “É uma conquista que ficará para a história, porque estamos concluindo o primeiro ano da Copa Truck. Ela mostrou que chegou para ficar e tem um belo futuro pela frente. Temos ainda alguns ajustes para fazer, é claro, mas o importante é que há muito espaço para crescimento”, analisou. Sobre o sonho do bicampeonato, que passará a ter status de brasileiro, disse que ainda é cedo para projeções. “Eu mesmo ainda nem tenho nada acertado. Este mês foi muito corrido e nem tive tempo para conversar sobre 2018. Agora é que vou me preocupar com isso.”

Feliz como um torcedor do Timão depois de ver o clube ser campeão do Brasileirão, Roberval – cuja equipe representa o Corinthians na Copa Truck – festejou bastante a terceira vitória no ano, número superado somente por Giaffone. Mesmo lutando contra todas as probabilidades, mostrou muita determinação para buscar um resultado que sempre pareceu complicado. Partiu e chegou em terceiro na corrida 1 e foi o quinto e último a liderar o complemento da programação, depois de largar em sexto. Foi outro dos grandes destaques da temporada. Salustiano e Débora Rodrigues completaram o Top 5 da corrida 2.

Os resultados em Interlagos:

Corrida 1

Pos.    Piloto                                     Marca

  1        Felipe Giaffone                      VW
  2        Paulo Salustiano                    VW

  3        Roberval Andrade                  IVECO

  4        Beto Monteiro                        IVECO
  5        Adalberto Jardim                   VW
  6        Wellington Cirino                    MERCEDES-BENZ

  7        Renato Martins                      VW
  8        Witold Ramasauskas             MAN
  9        Débora Rodrigues                  VW
10        Jaidson Zini                            SCANIA
11        Luiz Lopes                              IVECO
12        Pablo Alves                            VOLVO
13        Zé Maria Reis                        SCANIA

 

Não completaram:

Fábio Fogaça                                     FORD

Regis Boessio                                    VOLVO

Danilo Dirani                                      SCANIA

Joel Mendes Jr.                                 SCANIA

André Marques                                  VW

Djalma Fogaça                                  FORD

Duda Bana                                         SCANIA

 

Corrida 2

Pos.    Piloto                                     Marca

  1        Roberval Andrade                  IVECO
  2        Renato Martins                      VW
  3        Felipe Giaffone                      VW

  4        Paulo Salustiano                    VW

  5        Débora Rodrigues                  VW

  6        Regis Boessio                        VOLVO

  7        Luiz Lopes                              IVECO

  8        Adalberto Jardim                   VW

  9        Fábio Fogaça                         FORD

10        Zé Maria Reis                        SCANIA

 

Não completaram:

Wellington Cirino                                MERCEDES-BENZ

Witold Ramasauskas                         MAN

Beto Monteiro                                    IVECO

Duda Bana                                         SCANIA

Jaidson Zini                                        SCANIA

Pablo Alves                                        VOLVO

Danilo Dirani                                      SCANIA

Joel Mendes Jr.                                 SCANIA

André Marques                                  VW

Djalma Fogaça                                  FORD

 

Classificação final da Copa Sul/Sudeste:

Pos.    Piloto                                     Pontos

  1        Felipe Giaffone                      87
  2        Roberval Andrade                  84
  3        Paulo Saluastiano                  62
  4        Adalberto Jardim

            Débora Rodrigues                  59
  6        Witold Ramasauskas

            Renato Martins                      50
  8        Luiz Lopes                              48
  9        Danilo Dirani                          38
10        Beto Monteiro                        34

 

Copa Truck 2017

- Campeão: Felipe Giaffone com 233 pontos;

- Vice-campeão: Roberval Andrade com 214 pontos.

 

Editorial: Final de Ano

            Encerrados os campeonatos em todo o mundo, o esporte a motor tira merecidas férias para voltar já na segunda quinzena de janeiro de 2018 para o início de testes particulares e de treinamento em simuladores.

Este ano, pudemos assistir a disputas pau a pau por posições durante toda temporada da Monster Energy CUP da NASCAR, Martin Truex Jr. Sagrando-se campeão da Monster, Bruno Senna, sobrinho do professor Ayrton Senna, conquistando seu tão sonhado título mundial na categoria P2 do WEC, Lewis Hamilton tetra campeão na F-1 com Sebastien Vettel como vice, Pietro Fittipaldi, neto de Emerson Fittipaldi, conquistou a World Series,

E que não se esqueça de um Prost, Nicolas, filho de Alain Prost e companheiro de Bruno e Julien Canal no carro da Rebellion, que só não será considerado campeão mundial também porque não disputou uma etapa do campeonato, em Nürburgring, porque estava defendendo a Renault na Fórmula E.

Da mesma forma, não nos olvidemos do campeão mundial de F-1 do ano passado, Nico Rosberg, filho de Keke. E de um dos grandes destaques da atualidade, Max Verstappen, filho de Jos. Ou de outros que estão no grid, como Sainz Jr. (filho de Carlos, do rali) e Kevin Magnussen (rebento de Jan).

Filhos, netos, sobrinhos, afilhados, agregados. Não é exatamente uma novidade essa passagem familiar de bastões. São inúmeros os exemplos de descendência direta e indireta no automobilismo, em alguns casos de pilotos muito bem sucedidos, inclusive, como Damon Hill e Jacques Villeneuve — para não falar nas dinastias americanas, famílias como Andretti, Unser, Earnhardt e muitas outras, assim como no Brasil com os Serra, Gomes, e se buscarmos vamos achar muitos etcéteras.

A coincidência é ver os três principais sobrenomes do automobilismo brasileiro conquistando títulos mundiais em tão pouco tempo — nos casos de Bruno e Pietro, no mesmo fim de semana e na mesma pista, no Bahrein.

Fittipaldi, Senna e Piquet estão indelevelmente ligados à história do esporte no país por suas conquistas, e suas sagas têm tido seguimento, ainda que aos trancos e barrancos. No caso dos Fittipaldi, já é a terceira geração, que teve em Christian o primeiro sucessor dos irmãos Emerson & Wilsinho.

Não dá para comparar, porém, nenhum dos descendentes aos ancestrais originais, seja no talento, seja nas conquistas. Todos se esforçaram, lutaram, ganharam muitas coisas, perderam outras tantas, mas não conseguiram igualar os feitos dos, digamos, “originais”.

É verdade que há casos, como os de Nico Rosberg e Max Verstappen, em que as crias se saíram muito melhor que seus pais — claros exemplos de evolução da espécie. Em outros, isso não aconteceu nem de longe.

Só dá para dizer que Nicolas é filho de Alain, por exemplo, através da observação dos peculiares narizes da família Prost.

Mas é tudo, insisto, normal. Na história do automobilismo mundial, filhotes se espelham nos pais, tios e avós, e alguns tentam seguir seus passos, orgulhosos. Eles não herdam talento, necessariamente, não existe essa história de DNA, mas certamente saem na frente de seus rivais porque o caminho das pedras que irão trilhar é bem conhecido por quem já tropeçou em várias delas.

Mas nem tudo foi alegria: houveram baixas nas pistas, decorrentes de acidentes fatais, principalmente no Super Bike Brasil e nas categorias de acesso a MotoGP, a Moto 2 e Moto 3.

E não podemos deixar de citar Franco Morbideli, filho de mãe brasileira e pai italiano, campeão da Moto 3 e garantido na Moto GP em 2018.

  O Brasil é conhecido como celeiro de excelentes pilotos, E com isso, constantemente pilotos brasileiros se mudam para Mônica e outros destinos mundiais para correm em ouras categorias, já que aqui no Brasil o automobilismo está totalmente abandonando pela CBA, que caça dinheiro 24 horas mas não gerencia o esporte nacional.

Mas, terminando, não podemos esquecer de deixar nossa mensagem a todos que durante 2017 nos dão sua honra em nos acompanhar nossas matérias.

Quero fazer um agradecimento todo especial a nossa equipe de retaguarda da Agência14news, que desde 2016 tem editado todas nossas matéria e nos dado feedback sobre acessos.

Escrever para um importante e honesto site de informações 24 horas, nos capacita como não só colaborador, mas sim como um membro da família agencia14news.

E, na condição de membro dessa grande e trabalhadora família Agência14news, tomo a liberdade de desejar a todos nossos assíduos leitores um Feliz e abençoado Natal e um 2018 repleto de, somente, coisas boas para que nossa ascensão seja sem obstáculo e sempre para cima.

Todos nós, da Power Racing News desejamos a todos um Natal abençoado, com toda família presente e um 2018 com realizações maravilhosas.

 

Em excelente 2018 a todos!!!!!!

 

Desejo de toda equipe Power Racing News.  

 

Estaremos em férias até dia 23/01/2018, quando todas as categorias iniciam suas atividades,

 

BOAS FESTAS A TODOS!!!!!!!

 

Fale conosco, estamos esperando sua sugestão sobre matérias, críticas e comentários. Você, amigo leitor, é nosso principal combustível. Esta coluna é feita para você. Nosso e-mail à sua disposição 24 horas, 7 dias por semana é motor14news@gmail.com.

 

Uma boa semana, automaníacos. Até a próxima.

 

“Em 2018, de IVECO, será um ano de recuperação e aprendizado.”

             Djalma Fogaça, sobre sua mudança de FORD para a IVECO pra 2018

 

Reinaldo dos Santos Filho mora em São Manuel/SP, tem 49 anos, é jornalista especializado em automobilismo, administrador de empresas, escritor, piloto profissional e motociclista. Pai do Thiago Augusto, Roberta, Luís Guilherme e Giovanna.

 

Matéria sob responsabilidade do autor (Mtb 82.886/SP)