POWER RACING NEWS 23/10/2018 08:28

F1 nos Estados Unidos, Nascar CUP nos playoffs, MotoGP com título de Marquez e Stock Car em Londrina

Raikkonen vence nos Estados Unidos e adia penta de Hamilton. E o campeonato está aberto.

Tudo dava a crer que Lewis Hamilton somaria uma vitória no GP dos EUA e levaria o pentacampeonato.

Mas Kimi Raikkonen estava na pista. O ferrarista, cuja última vitória foi em 2013 no GP da Austrália com a Lotus, conquistou seu primeiro triunfo desde seu retorno à Ferrari.

Na largada, Hamilton foi ultrapassado por Raikkonen, que largou de pneus ultramacios em vez de supermacios. Bottas conseguiu segurar Ricciardo pela P3, enquanto Vettel, que vinha na P5, atacava Ricciardo.

Na curva 12, Vettel tentou mergulhar em cima de Daniel, mas errou e acabou rodando. Ele recuou para 15º e teve de se recuperar. Após o fim da volta 1, o top-10 era Raikkonen, Hamilton, Bottas, Ricciardo, Hulkenberg, Sainz, Ocon, Verstappen, Perez e Magnussen.

A volta 1 foi marcada por outros dois incidentes. Em um, Lance Stroll acertou Fernando Alonso e tirou o espanhol da prova.

Em outro, Grosjean bateu em Leclerc, fazendo o monegasco rodar. O piloto da Haas abandonou. Stroll foi obrigado a fazer um drive-through.

Mais uma vez, Daniel Ricciardo teve problemas com o motor TAG da sua Red Bull, abandonando a prova na volta 8.

Para retirar seu carro, a direção de provas trouxe o Safety Car Virtual. Hamilton parou e voltou com os pneus macios. Logo após a saída do VSC, Bottas deixou Hamilton passar para ser o segundo.

O top-10 era Raikkonen, Hamilton, Bottas, Verstappen, Vettel, Hulkenberg, Sainz, Ocon, Perez e Magnussen.

Hamilton cortou a diferença de 9s para o finlandês e chegou perto para atacar o piloto da Ferrari. Ele pressionou Kimi até a volta 21, quando o finlandês foi para o box e deixou a liderança para Hamilton.

Bottas e Verstappen foram para os pits nas voltas seguintes, com Verstappen voltando na frente de Bottas. Raikkonen e Hamilton andavam no mesmo ritmo na metade da prova.

O top-10 era Hamilton, Raikkonen, Verstappen, Bottas, Vettel, Hulkenberg, Sainz, Ocon, Perez e Magnussen. A partir da volta 35, Raikkonen passou a se aproximar de Hamilton, que sofria com bolhas em seus pneus.

Ele baixou a diferença de 17s para 9, virando cerca de 2s mais veloz a cada volta. Hamilton fez seu segundo pit na volta 38, voltando na P4, a 12 segundos de Kimi.  Ele fez a volta mais rápida e superou Bottas duas voltas depois.

A partir daí Hamilton foi chegando em Verstappen aos poucos enquanto a corrida chegava em suas voltas finais. No entanto, nas últimas voltas, Hamilton não conseguiu ultrapassar Verstappen por não estar a 1s atrás da Red Bull quando entrou na zona de abertura do DRS.

A 3 voltas do final, Verstappen cometeu um erro, dando a chance a Hamilton para tentar uma investida, mas a Mercedes não teve “fôlego” para passar a Red Bull, cuja manobra de Hamilton o fez sair da pista, amargando um terceiro lugar. Vettel, conseguiu a P4  a duas voltas do fim.

E com esse resultado, a diferença entre Hamilton e Vettel ficou em exatos 70 pontos (346 contra 276).

Ainda temos 3 etapas: México no próximo final de semana, Brasil (Interlagos) dia 11/11 e o fechamento da temporada em Abu Dhabi (Yas Marina), dia 25/11.

Para Vettel conquistar o título de 2018, ele precisa vencer as 3 etapas e torcer para Hamilton não pontuar em uma das corridas e terminar as outras abaixo do sétimo lugar.

Mas, se Hamilton terminar em sétimo lugar já no México, mesmo com uma vitória de Vettel, leva seu quinto título para casa.

Só lembrando que domingo (28) temos a F1 no Gp do México, no lindo Autódromo Hermanoz Rodrigues.

TOP TEN do GP dos Estados Unidos

Pos.    Piloto                                     Equipe

01        Kimi Raikkonen                      Ferrari

02        Max Verstappen                     Red Bull TAG

03        Lewis Hamilton                      Mercedes

04        Sebastien Vettel                     Ferrari

05        Valtteri Bottas                         Mercedes

06        Nico Hulkenberg                    Renault

07        Carlos Sainz Jr.                     Renault

08        Sergio Perez                          Force India Mercedes

09        Brendon Hartley                     Toro Rosso Honda

10        Marcus Ericsson                    Sauber Ferrari


Chase Elliott vence no Kansas e mais 4 pilotos saem da disputa pelo título de 2018 na CUP

A NASCAR CUP disputou no Kansas, no domingo, mais uma prova era decisiva dos playoffs: os quatro menos bem colocados e sem vitória seriam eliminados da possibilidade de lutar pelo título.

Mas, no final, aquele que não precisava vencer triunfou.

Chase Elliott apareceu no fim e segurou Kyle Busch nas últimas voltas para ganhar sua terceira corrida na principal categoria da NASCAR em 11 provas, a segunda dentro da fase de 12 pilotos dos playoffs.

Kyle Busch terminou em segundo e Kyle Larson, com a terceira posição, foi um dos eliminados. Junto com o piloto da Chip Ganassi, caíram Brad Keselowski, Ryan Blaney e Alex Bowman.

Na próxima fase, somente oito pilotos permanecem na luta pelo título, começa no próximo domingo, em Martinsville.

Disputam o título da temporada Kyle Busch (Toyota), Kevin Harvick (Ford), Martin Truex Jr. (Toyota), Chase Elliott (Chevrolet), Clint Bowyer (Ford), Joey Logano (Ford), Kurt Busch (Ford) e Aric Almirola (Ford) estão na briga.

Temos disputando o título entre as marcas 5 Fords, 2 Toyotas e somente 1 Chevrolet. Neste ano, a Ford deverá ser a campeã entre as marcas que disputam a NASCAR CUP.

TOP TEN do Kansas

Pos.    Piloto                                     Carro

  1        Chase Elliott                           Chevrolet Camaro #9

  2        Kyle Busch                             Toyota Camry #18

  3        Kyle Larson                             Chevrolet Camaro #42

  4        Erik Jones                              Toyota Camry #20

  5        Martin Truex Jr.                      Toyota Camry #78

  6        Brad Keselowski                    Ford Fusion #2

  7        Ryan Blaney                           Ford Fusion #12

  8        Joey Logano                           Ford Fusion #22

  9        Alex Bowman                         Chevrolet Camaro #88

10        Aric Almirola                           Ford Fusion #10

 

Marc Marquez vence no Japão e é penta na MotoGP

O piloto da Honda venceu o GP do Japão e, de quebra, conquistou o quinto título da MotoGP, o sétimo mundial.

A largada foi limpa, com Dovizioso usando a potência da Ducati mantendo a ponta e Márquez, que largou na P6, pulando para a P2. A largada mostrou que o duelo entre os líderes do campeonato estava começando cedo.

Jack Miller era o terceiro, seguido de Cal Crutchlow, Alex Rins e Valentino Rossi.Mas Crutchlow quis participar da festa e superou Márquez, quando restavam 20 para o final.Ao mesmo tempo, Rossi tomava a P4 de Miller.

Marquez não ficou quieto e duas voltas depois retomou a P2. Enquanto isso, Aleix Espargaro, com sua Aprilia, abandonava. Rossi não conseguiu manter seu ritmo, perdendo duas posições para Andrea Iannone e Alex Rins, ambos de Suzuki. Faltando 14 voltas para o fim, Jack Miller caiu na curva 9 e saiu desapontado. Karel Abraham fez o mesmo na mesma volta.

Com 11 para o fim, Márquez chegou a tomar a ponta, mas o espanhol errou, quase caiu e o piloto da Ducati voltou a liderar na curva 11. Na volta seguinte, Iannone caiu sozinho na curva 10, fazendo Rossi herdar a P5.

Aos poucos, a dupla que domina o campeonato se desgarrou de Crutchlow, travando nova disputa intensa. Faltando quatro voltas para o fim, Márquez deu novo bote na curva 9 e voltou a liderar.

As coisas melhoraram ainda mais quando Dovi foi ao chão restando duas voltas. A partir daí, Márquez administrou o resultado, conquistou a vitória e o quinto título mundial em seis temporadas da MotoGP. Crutchlow ficou na P2, Rins P3 e Rossi, P4. Marc Marquez leva o penta a 3 corridas do fim da temporada.

Outro destaque da prova foi o ítalo brasileiro Franco Morbidelli, que terminou com sua Honda na P11, seu melhor resultado até agora.

A MotoGP volta no próximo fim de semana com o GP da Austrália.

TOP TEN da MotoGP no Japão

Pos.    Piloto                                     Moto

01        Marc Marquez                        Honda #93

02        Cal Crutchlow                        Honda #35

03        Alex Rins                                Suzuki #42

04        Valentino Rossi                      Yamaha #46

05        Alvaro Bautista                       Ducati #19

06        Johann Zarco                         Yamaha #5

07        Maverick Viñales                    Yamaha #25

08        Dani Pedrosa                         Honda #26

09        Danilo Petrucci                      Ducati #9

10        Hafizh Syahrin                       Yamaha #55

 

Barrichello vence a corrida 1 e Átila Abreu a 2 em Londrina.

Rubens Barrichello conseguiu sua segunda vitória na temporada, neste domingo em Londrina, na corrida 1.

Rubinho, que largou na P3, teve sorte de antes de seu pit houve a entrada do Safety Car, fazendo com que ele economizasse o equipamento. Logo na largada, o pole Felipe Fraga manteve a ponta, enquanto Barrichello perdeu a P2 para Marcos Gomes, que largava por dentro, em terceiro.

Júlio Campos e Ricardo Zonta passaram por Daniel Serra, jogando o piloto da Eurofarma RC na P6. O primeiro abandono foi de Lucas Foresti, com problemas de suspensão.

Duas voltas depois, Van der Linde saiu da pista e bateu nos pneus. Ele ainda assim conseguiu voltar para os pits. Serra conseguiu superar Zonta e assumiu a P5.

Entretanto, Serra ficou preso atrás de Júlio Campos, dando chance para que Ricardo Zonta recuperasse a P5. Na volta seguinte, Serra usou o push to pass e ultrapassou Zonta novamente.

Na metade da prova, Cacá Bueno vinha pela P9 quando parou na pista com problemas de câmbio. Cacá reclamava desde o início da prova que as marchas mudavam sem seu comando, sozinhas.

O carioca retornou à prova depois de religar o carro, mas não evitou a entrada do Safety Car. No retorno da prova, a maior parte dos pilotos foi ao box na primeira volta, incluindo a dupla da Cimed e Daniel Serra.

Na saída, quem se deu mal foi Fraga, que retornou atrás de vários carros. Já Barrichello se deu bem. Entrou nos pits uma volta depois de Fraga e saiu atrás de Júlio Campos.

Utilizando o push to pass uma volta depois, ele superou o curitibano e foi para a P1.

Após as paradas, o top-10 era Barrichello, Campos, Zonta, Serra, Gomes, Átila, Max Wilson, Camilo, Nunes e Fraga.

Na disputa paranaense, Zonta superou campos e ficou com o segundo posto.

No fim, Marcos Gomes tentou passar Serra mas saiu da pista, caindo para sétimo.

Zonta foi superado por Campos após errar na última volta.     

TOP TEN da corrida 1

Pos.    Piloto 

  1. Rubens Barrichello
  2. Júlio Campos
  3. Ricardo Zonta
  4. Daniel Serra
  5. Max Wilson
  6. Átila Abreu
  7. Thiago Camilo
  8. Marcos Gomes
  9. Diego Nunes
  10. Felipe Fraga

 

Já na corrida 2, com a formação do grid “invertido” da corrida 1 (Felipe Fraga, Diego Nunes, Marcos Gomes, Thiago Camilo, Atila Abreu, Max Wilson, Daniel Serra, Ricardo Zonta, Júlio Campos e Rubens Barrichello), Atila Abreu conseguiu sua quarta vitória na temporada.

O piloto, que teve um problema de push to pass na corrida 1, acabou guardando por acidente todos os botões para a corrida 2, e isso, junto com mais um problema de Felipe Fraga nos boxes, foi a chave para a conquista.

Fraga manteve a pole invertida, com Marcos Gomes assumindo a P2 após passar por Diego Nunes.

O piloto da Full Time foi superado nas voltas seguintes por Thiago Camilo e Atila Abreu.

Após dez minutos de prova, Marcos Gomes passou a perder rendimento em seu carro.

Com problemas de suspensão, ele foi passado por Atila Abreu, Thiago Camilo e Daniel Serra, antes de ir para os boxes abandonar.

Após as paradas de box, Atila Abreu retornou à frente de Fraga após um novo erro da equipe Cimed nos boxes no pneu traseiro direito. O sorocabano da Shell, que tinha um déficit de 4s para Fraga, retornou pouco à frente.

Com pushes para gastar, Átila abriu na ponta, enquanto Fraga cada vez mais passou a ser pressionado por Daniel Serra. A dois minutos do fim o líder do campeonato ultrapassou o tocantinense e assumiu a P2.

No fim, Ricardo Maurício superou Fraga, jogando o piloto da Cimed Racing para a P4.

Foi o primeiro pódio de Ricardinho nesta temporada.

A próxima etapa da Stock Car ocorre em Goiânia, daqui duas semanas.

TOP TEN da corrida 2

Pos.    Piloto 

  1. Atila Abreu
  2. Daniel Serra
  3. Ricardo Mauricio
  4. Felipe Fraga
  5. Esteban Guerrieri
  6. Thiago Camilo
  7. Cacá Bueno
  8. Vitor Gens
  9. Gabriel Casagrande
  10. Rubens Barrichello

Com esses resultados, Daniel Serra abre boa vantagem na tabela para o segundo colocado, Felipe Fraga. Confira a classificação:

 

Pos.    Piloto                         Pontos

01        Daniel Serra               270

02        Felipe Fraga               236

03        Rubens Barrichello     194

04        Julio Campos             183

05        Max Wilson                 176

06        Atila Abreu                  176

07        Marcos Gomes           172

08        Cacá Bueno                169

09        Ricardo Zonta             144

10        Thiago Camilo            127

Matematicamente somente Daniel Serra, Felipe Fraga, Rubens Barrichello tem chances de levar o título da temporada da Stock Car.

 

Volta Rápida

- E mais uma vez Fernando Alonso foi um dos “destaques” fora das pistas. O espanhol, que teve sua McLaren acertada em cheio por Lance Stroll com sua Willians, o que obrigou Alonso a abandonar a prova, disse em entrevista que “...incrível como aqui na Fórmula 1 temos mais amadores que na WEC”. Alonso chamou “indiretamente” de amador Lance Stroll, não só pelo acidente na largada mas também por essa não ter sido a primeira vez que o canadense compromete a corrida do espanhol. 

- Enquanto Kimi Raikkonen dizia que sua vitória no GP dos Estados Unidos deve servir para mostrar a todos que o criticam de que ele está vivo e competitivo, Sebastien Vettel reclamava que a Ferrari demorou muito a enxergar que o último pacote de atualizações dos carros da Scuderia surtiram menos efeitos e deixaram os carros, de certa forma, piores tanto em dirigibilidade quanto em desempenho. Tanto que os dois carros vieram para a etapa com as configurações anteriores ao último pacote, o que fez eles voltarem a andar junto das Mercedes. Talvez ainda não seja tarde para Vettel morder esse título, mas a Ferrari e Vettel terão que dar 200% de sí para reverter o campeonato em favor de Vettel.

- Esteban Ocon, piloto da Force India e velho rival de Charles Leclerc no kart, acha que já em 2019 Leclerc terá condições para disputar de igual para igual com Vettel e Hamilton o titulo da temporada. Leclerc, que vem se destacando na Sauber e em 2019 ocupará o lugar de Kimi Raikkonen na Ferrari, terá um carro de ponta. Na Sauber, que hoje é equipe escola da Ferrari, ele vem obtendo bons resultados, muito aquém que o carro permite.

- Já Kimi Raikkonen vai para a Sauber, no lugar de Leclerc, para participar do desenvolvimento do programa de formação de pilotos e também de testes dos propulsores da Ferrari. Fontes dizem que a Sauber, em 2019, usará o mesmo carro da Ferrari e que receberá os pacotes de atualizações, tanto  de motores quanto aerodinâmicos, primeiro para que sejam testados nos treinos livres e classificatórios. Essa seria a justificativa da troca dos pilotos.

- Daniel Ricciardo, que vive seus últimos GPs pela Red Bull, teve novamente uma quebra do propulsor TAG Renault. Mas Ricciardo, que é uma pessoa calma e sorridente, esbravejou com Christian Horner sobre as constantes quebras só do seu carro e, inclusive, descarregou sua ira em um murro na parede. Horner não soube dizer ou sequer justificar porquê só o carro de Dani quebra mas disse que o problema é com a Renault e não com os componentes do carro que não são fabricados pela equipe. Daniel Ricciardo deverá ter uma boa conversa com seus novos chefes em 2019, já que se despede da Red Bull e pilotará para a equipe francesa, que fornece os motores para a Red Bull. Mais um dos muitos mistérios da F1.

- Em 2019 a Red Bull deverá usar motores Honda, desde que a evolução mostrada pelos carros da Toro Rosso, sua equipe satélite, continue. É nítido que a Honda, após sua saída da McLaren e ida para a Toro Rosso, vem evoluindo a cada corrida, melhorando sua performance e durabilidade. Agora é esperar os próximos capítulos dessa novela.

- Lance Stroll deverá testar pela sua nova equipe, a Force India Mercedes, a qual foi comprada por um grupo de investidores onde Lawrence Stroll, pai de Lance, é o presidente, logo após o GP de Abu Dhabi. Com Lance saindo da Willians e levando consigo o gordo patrocínio de seu pai, a Willians fica em maus lençóis. Ainda não se sabe quem ocupará a vaga de Stroll na equipe nem quem serão os novos patrocinadores.

- Valentino Rossi, que agora irá brigar pelo vice campeonato da MotoGP, disse que a tempos vem alertando a Yamaha de que a Ducati está progredindo a ponto de ser mais rápida que as Yamahas e Hondas. Prova disso foi o último GP onde Dovizioso andou na frente de Marquez até sofrer uma queda. E o pior, a Suzuki vem despontando como uma moto melhor que as Yamaha, tanto que Alex Rins conseguiu segurar Rossi na pista. Rossi reclama que as Yamaha estão com problemas sérios de aderência na traseira e também na falta de potência nas retomadas e na velocidade final da sua moto.

Vamos ver se para 2019 a Yamaha volta a ser aquela moto competitiva de 2017.

- O piloto brasileiro Eric Granado competirá na categoria de motos elétricas que estreará em 2019, a MotoE. Eric assinou com a Avintia e terá como companheiro de equipe Xavier Simeon.

Simeon se juntou à equipe de MotoGP da Avintia no início do ano depois de oito temporadas na Moto2, que renderam uma única vitória em Sachsenring em 2015.

Granado também tem experiência em competir na Moto2, mais recentemente nas 10 primeiras corridas da temporada de 2018 com a Forward Racing, e também tem corrido no campeonato brasileiro de Superbike.

A MotoE começará em Jerez em maio e terminará em Misano em setembro, depois de passar por Le Mans, Sachsenring e no Red Bull Ring.

"Sem dúvida, este será um passo importante na minha carreira. Adoro a ideia de fazer parte do primeiro campeonato mundial com uma geração completamente nova de motos de competição. Será uma experiência completamente diferente, mas ao mesmo tempo muito emocionante. Passei um ano no MotoGP, o que não foi nada fácil, e agora estou muito feliz por fazer parte de uma nova aventura neste campeonato e com a minha equipe.", disse Simeon.

Granado acrescentou: “A MotoE é algo novo para todos. Será um ponto de interrogação sobre como a moto funcionará e como teremos que adaptar nosso estilo de pilotagem para sermos competitivos. Mas tenho certeza de que, com o apoio da equipe, seremos competitivos desde a primeira corrida. A MotoE será um marco no motociclismo e tenho o prazer de fazer parte desta nova aventura."

E quem ganha somos nós, com mais uma categoria e mais um brasileiro nas pistas.

- Ontem, segunda feira, recebemos a notícia de que uma nova categoria do automobilismo nacional foi homologada pela Federação Gaúcha de Automobilismo. Trata-se da Pick-up SuperCup V6.

A SuperCup será uma categoria de pick-ups nacionais e importadas, cujas configurações de fábrica comtemplam um motor V6. Na primeira temporada, que será em 2019, correrão Ford Ranger, GM S-10 e Dodge Dakota. Para 2020 deverá entrar as pick-ups atuais como VW Amarok, Toyota Hilux, Nissan Frontier, etc. . Nosso amigo e piloto Max Nunes é o “pai” da categoria que já conta com aproximadamente 25 pilotos com suas pick-ups confirmados para compor o primeiro grid de 2019.

E a categoria estando homologada, pode até correr fora do Brasil, como já faz a Copa Truck, que tem corrida no Uruguai. Existem negociações com um canal de TV aberta para a transmissão das etapas. Nossos parabéns ao Max Nunes por essa importante conquista para o nosso automobilismo.


Fale conosco, estamos esperando sua sugestão sobre matérias, críticas e comentários. Você, amigo leitor, é nosso principal combustível. Esta coluna é feita para você. Nosso e-mail à sua disposição 24 horas, 7 dias por semana é motor14news@gmail.com.

Parceiro: www.planetavelocidade.com.br

 

Uma boa semana, automaníacos. Até a próxima.

 

“Incrível como aqui se tem mais amadores que na WEC.”

Fernando Alonso, se referindo indiretamente a lance Stroll e outros pilotos novatos sobre os acidentes na pista, provocados por inexperiência dos mesmos.

 

Reinaldo dos Santos Filho mora em São Manuel/SP, tem 50 anos, é jornalista especializado em automobilismo, membro da Irmandade MC, pai do Thiago Augusto, Roberta, Luís Guilherme e Giovanna.

Matéria sob responsabilidade do autor (Mtb 82.886/SP)