POWER RACING NEWS 23/10/2017 22:14

Fórmula 1, Stock Car, Nascar e Moto GP com Reinaldo Filho

Fórmula 1 nos Estados Unidos, Stock Car em Tarumã, NASCAR Monster Energy Cup em Dallas, MotoGP na Austrália, semana da indústria automobilística  e “Volta Rápida”

 

Fórmula 1 passou pelos Estados Unidos, em Austin, com mais uma vitória de Lewis Hamilton e tetracampeonato por equipes da Mercedes

            Mais rápido em todas as sessões de treinos, inclusive no classificatório, Lewis Hamilton só perdeu a liderança da corrida na largada, após ser ultrapassado por Sebastian Vettel, que não resistiu e devolveu a ponta ao britânico ainda nas primeiras voltas da corrida e acabou em segundo.

            Na largada, Vettel saiu melhor que Hamilton e tomou a primeira posição do britânico.

            Já Raikkonen, quinto do grid, não conseguiu fazer uma largada tão boa e perdeu a posição para Esteban Ocon. O finlandês retomaria o posto duas voltas mais tarde.

            Enquanto isso, Bottas e Ricciardo protagonizavam uma bela disputa pela terceira posição, seguidos de perto por Raikkonen,

            Na quinta volta, Nico Hulkenberg enfrentou problemas e entrou com seu Renault nos boxes para abandonar a prova. Pouco depois, Pascal Wehrlein também teve problemas e abandonou.

            Uma volta mais tarde, Lewis Hamilton aproveitou o ponto de abertura do DRS da reta oposta, mergulhou por dentro e tomou a liderança de Vettel. O alemão ainda tentou dar o troco em Hamilton, mas o motor Mercedes falou mais alto.

            A partir daí, Hamilton começou a ditar o ritmo da corrida e na décima volta já abria vantagem de mais de dois segundos sobre Vettel.

            Mais atrás, Felipe Massa, que mantinha a décima posição, mesmo posto de largada, tinha muito trabalho para segurar Sergio Pérez, que tentava a todo custo ultrapassar o brasileiro.

            Sofrendo com o desgaste dos pneus ultramacios, Ricciardo começou a ser pressionado por Raikkonen e, antes que fosse ultrapassado, entrou nos boxes para colocar os compostos supermacios.

            De volta à pista, Ricciardo começou a imprimir um ritmo muito forte, ultrapassou alguns pilotos e até chegou a registrar a volta mais rápida da corrida, até o motor Renault de seu Red Bull apagar e ele abandonar a prova na 16ª volta.

            Na volta 20, Hamilton entrou nos boxes para trocar os pneus ultramacios pelos macios e voltou à pista em segundo, exatamente à frente de Vettel, que mais uma vez tentou investir sobre o britânico, mas não obteve sucesso.

            Três voltas mais tarde, Verstappen, líder da corrida naquele momento e com pneus muito desgastados, pois ainda não tinha entrado nos boxes para trocá-los, não teve como segurar Hamilton, que veio com compostos novos e reassumiu a liderança.

            Alonso, que vinha com um ritmo muito forte, informou a McLaren via rádio que estava com problemas no motor Honda de seu carro e foi o quarto a abandonar a corrida.

            Único que ainda não tinha trocado pneus, Felipe Massa, sexto colocado até ali, foi o último a fazer sua parada, na 30ª volta, para a troca os pneus de seu carro. Em uma estratégia considerada arriscada, a Williams optou em colocar compostos ultramacios no carro de Massa.

            Faltando 20 voltas para o final, Bottas começou a se aproximar de Vettel e ameaçava a segunda posição do alemão. Quem apareceu para salvar a pele de Vettel foi Raikkonen, que vinha em quarto e começou a colocar pressão sobre seu compatriota. Alheio a tudo isso, Hamilton seguia tranquilo na liderança.

            Pouco depois, Vettel precisou fazer sua segunda parada para troca de pneus e caiu para quarto. Na volta 43, Bottas, que herdou a vice-liderança após a parada de Vettel, não conseguiu mais segurar a pressão de Raikkonen e acabou sendo ultrapassado pelo piloto da Ferrari.

            A cinco voltas do final, Bottas não conseguiu segurar Vettel e perdeu a terceira posição para o alemão. Na sequência, a Ferrari enviou uma mensagem a Kimi, que claramente cedeu a posição a seu companheiro de equipe.

            Sem ser incomodado, Hamilton garantiu mais uma vitória na temporada 2017, com Vettel em segundo e Raikkonen em terceiro. Massa ficou em nono.

            A diferença entre Hamilton e Vettel agora é de 66 pontos, faltando mais três corridas para o término do campeonato. Para ser campeão, o piloto da Mercedes precisa apenas da P5 no México.

 

Grid final do GP das Américas:

Pos.    Piloto                                     Equipe

  1        Lewis Hamilton                      Mercedes
  2        Sebastien Vettel                     Ferrari
  3        Kimi Raikkonen                     Ferrari
  4        Max Verstappen                    Red Bull / Renault
  5        Valtteri Bottas                         Mercedes

  6        Esteban Ocon                        Force India / Mercedes
  7        Carlos Sainz Jr.                     Renault
  8        Sergio Perez                          Force India / Mercedes
  9        Felipe Massa                          Willians / Mercedes
10        Daniil Kvyat                            Toro Rosso / Renault

11        Lance Stroll                            Willians / Mercedes

12        Stoffel Vandoorne                  McLaren / Honda

13        Brendon Hartley                     Toro Rosso / Renault

14        Romain Grosjean                   Haas / Ferrari

15        Marcus Ericsson                    Sauber / Ferrari

16        Kevin Magnussen                  Haas / Ferrari

 

Não terminaram

Piloto                                     Equipe                                  

Fernando Alonso                    McLaren / Honda      

Daniel Ricciardo                    Red Bull / Renault

Pascal Wehrlein                     Sauber / Ferrari

Nico Hulkenberg                    Renault

 

            A Fórmula 1 corre no México no próximo domingo (29).

 

Stock Car em Tarumã tem vitórias de Daniel Serra (corrida 1) Ricardo Maurício (corrida 2)

            Daniel Serra se consagrou como vencedor da primeira corrida da rodada dupla da Stock Car de Tarumã. Largando da quarta posição, o líder do campeonato teve a seu favor uma punição imposta a Ricardo Zonta na parte final da corrida para vencer.

            Logo na largada da prova de abertura da rodada dupla de Tarumã, o pole position Galid Osman se defendeu bem das investidas de Thiago Camilo e segurou a liderança. Galid também precisou segurar a pressão de Max Wilson, que largou em terceiro e foi para cima.

            Mais atrás, o líder do campeonato, Daniel Serra, que largou da quinta posição, fez bom uso do botão de ultrapassagem e na terceira volta ultrapassou Wilson para assumir a terceira posição.

            No pelotão intermediário, Felipe Fraga, atual campeão da Stock Car, perdia a 15º posição para Rubens Barrichello, campeão da temporada 2014. Pouco depois, um pneu furado no carro de Fraga o forçou a entrar nos boxes.

            Com metade da prova completada, Galid seguia líder, enquanto isso, Serrinha aproveitava que Camilo só tinha metade dos botões de ultrapassagens disponível e atacava seu principal rival na luta pelo título.

            Faltando pouco mais de 16 minutos para o fim da corrida, Ricardo Zonta, acionou o push to pass e tomou a liderança de Galid, trazendo junto Daniel Serra, que colou no vácuo de Zonta, também superou o pole position e o jogou para terceiro.

            A oito minutos do fim da corrida, o Safety Car foi acionado, mas não por causa de nenhum acidente, mas sim porque um torcedor mais empolgado invadiu a pista e deitou na grama para ter, na visão dele, um ponto mais privilegiado para acompanhar a corrida.

            Na relargada, Zonta acionou o botão de ultrapassagem para manter a ponta, seguido por Serra em segundo e Galid em terceiro.

            Pouco depois, Zonta foi chamado para os boxes para que fosse feita uma verificação de segurança em seu carro. Como Zonta não entrou, teve 20 segundos de acréscimo em seu tempo, caiu para 14º e acabou dando a vitória para Daniel Serra, com Galid em segundo e Max Wilson em terceiro.

            A segunda posição ficou com o pole position, Galid Osman, seguido por Max Wilson fechando o pódio. Vice líder do campeonato, Thiago Camilo terminou na quarta posição.

TOP TEN da corrida 1:

Pos.    Piloto

  1        Daniel Serra

  2        Galid Osman

  3        Max Wilson

  4        Thiago Camilo

  5        Antonio Pizzonia

  6        Diego Nunes

  7        Marcos Gomes

  8        Julio Campos

  9        Rubens Barrichello

10        Denis Navarro

            Já na corrida 2, por causa do grid invertido para os dez primeiros da primeira corrida, Denis Navarro largou da pole position da corrida 2 da rodada em Tarumã e acelerou forte para manter a ponta. Rubens Barrichello, o segundo do grid, não conseguiu segurar Júlio Campos e caiu para terceiro.

            Pouco depois, Navarro enfrentou problemas em seu carro, abandonou a prova e deu a liderança de presente a Campos. Alguns minutos mais tarde, Betinho Valério se chocou contra os pneus da chicane, os jogou para o meio da pista e causou a entrada do Safety Car.

            Na relargada, Campos acionou o botão de ultrapassagem para manter a liderança, seguido de perto por Barrichello e Antonio Pizzonia, que começou a perder rendimento e acabou perdendo a terceira posição para Marcio Campos.

            Enquanto isso, Felipe Fraga, que largou da 27ª posição, imprimiu uma reação impressionante e, se aproveitando da confusão causada por Pizzonia, e assumiu a segunda posição, logo atrás de Marcio Campos, novo líder após acidente de Júlio Campos.

            Com pneus em melhor condição após a parada nos boxes, Fraga partiu para o ataque sobre Marcio Campos, que se defendia como podia das investidas do atual campeão da Stock Car, até que a dez minutos do fim, acabou perdendo a ponta para Fraga.

            Pouco depois, Marcio Campos foi superado por Ricardo Maurício, que acelerou forte e começou a pressionar Felipe Fraga, até que conseguiu tomar a ponta e se manter por ali até a bandeira quadriculada.

            Marcio Campos também acabou superado e permitiu a ultrapassagem de Átila Abreu, que cruzou a linha de chegada em terceiro.

TOP TEN da corrida 2:

Pos.    Piloto

  1        Ricardo Mauricio

  2        Felipe Fraga

  3        Atila Abreu

  4        Marcio Campos

  5        Allan Khodair

  6        Gabriel Casagrande

  7        Tuka Rocha

  8        Cacá Bueno

  9        Sergio Jimenez

10        Ricardo Zonta

            Após Tarumã, Daniel Serra continua mais líder que nunca, rumo ao campeonato de 2017.

 

NASCAR Monster Energy CUP em Dallas

            A temporada 2017 da Monster Energy NASCAR Cup Series tem um grande nome até agora: Martin Truex Jr. Ele triunfou pela sétima vez no ano, a terceira dentro dos playoffs.

            Desta vez, o piloto da Furniture Row conseguiu vencer com estilo. Ele saiu de uma situação difícil, após ser punido na relargada da primeira bandeira amarela e ter que fazer um pit stop fora de hora por conta de problemas nos pneus. Mesmo na 32ª posição e estando uma volta atrás do líder, ele se recuperou e liderou 91 voltas para a conquista.

            A prova eliminou quatro competidores da disputa do título: Kyle Larson, Matt Kenseth, Ricky Stenhouse Jr. e Jamie McMurray, dando adeus às pretensões do campeonato.

            Surpreendentemente, Larson foi prejudicado por problemas em seu motor, tendo que abandonar a corrida ainda no primeiro terço. Ele acabou amargando a penúltima posição e teve que torcer para que parte dos pilotos dos playoffs tivessem problemas.

            E quase aconteceu o que ele queria. No 198º giro, Erik Jones perdeu o controle do carro #77 e foi para o muro, levando com ele mais 11 pilotos, configurando um Big One no Kansas Speedway.

            Fazendo parte do acidente, Kenseth acabou desclassificado da prova, após sua equipe infringir a regra de ter no máximo seis membros durante os reparos nos pits.

TOP TEN em Dallas:

Pos.    Piloto                                     Carro

  1        Martin Truex Jr.                      Toyota Camry #78

  2        Kurt Busch                              Ford Fusion #41

  3        Ryan Blaney                            Ford Fusion #21

  4        Chase Elliot                             Chevrolet Camaro SS #24

  5        Denny Hamlin                         Toyota Camry #11

  6        Chris Buescher                       Chevrolet Camaro SS #37

  7        Dale Eamhardt Jr.                   Chevrolet Camaro SS #88

  8        Kevin Harvick                          Ford Fusion #4

  9        Aric Almirola                            Ford Fusion #43

10        Kyle Busch                              Toyota Camry #18

            Estatisticamente, o equilíbrio entre as marcas na Monster CUP está evidente já a algumas corridas. Prova disso é a etapa de Dallas: a FORD cravou 4 Fusion no TOP TEN, seguida de Toyota e Chevrolet, com 3 Camry e 3 Camaro SS cada. Um equilíbrio que até a última prova deverá ser mais apertado.

            Em Martinsville, no próximo domingo, definirá o primeiro finalista da CUP de 2017.
    
        Com agora oito pilotos na briga, a pontuação se renovou com: Truex (4069 pontos), Kyle Busch (-27), Brad Keselowski (-43), Kevin Harvick (-52), Jimmie Johnson (-52), Denny Hamlin (-55), Ryan Blaney (-60) e Chase Elliott (-63).

Veja quem ficou para disputar a primeira vaga para a final na etapa de Martinsville

Pos.    Piloto                         Equipe                                   Carro                                     Pontos          

  1        Martin TruexJr.          Furniture Row Racing            Toyota Camry                        4069

  2        Kyle Busch                 Joe Gibbs Racing                  Toyota Camry                        4042

  3        Brad Keselowski        Team Penske                        Ford Fusion                            4026

  4        Kevin Harvick            Stewart Haas Racing             Ford Fusion                            4017

  5        Jimmie Johnson         Hendrick Motorsports           Chevrolet Camaro SS           4017

  6        Kevin Harvick            Stewart Haas Racing             Ford Fusion                            4015

  7        Denny Hamlin           Joe Gibbs Racing                  Toyota Camry                          4014

  8        Ryan Blaney              Wood Brothers Racing          Ford Fusion                            4009

  9        Chase Elliott               Hendrick Motorsports           Chevrolet Camaro SS           4006

 

MotoGP correu na Austrália, com mais uma vitória de Marc Marquez

            Disputando a vitória em um grupo de oito, Marc Márquez se utilizou de muito arrojo para ganhar o GP da Austrália deste domingo (22) em Phillip Island. O piloto, um passo à frente dos outros em termos de ritmo de prova, assumiu a ponta nas últimas cinco voltas e abriu do resto para garantir sua sexta vitória do ano.

            Valentino Roissi foi o vencedor do duelo pelo segundo lugar. Ele passou um agressivo Johann Zarco na penúltima volta e fechou todas as portas para o francês no último giro. Zarco ainda acabou cometendo um erro e perdendo o terceiro por 0s016 na última reta para Maverick Viñales, que fechou o pódio.

            Vice-líder do mundial, Andrea Dovizioso teve que fazer corrida de recuperação após errar no início da segunda volta. Depois de largar de 11º e não ganhar posições, ele saiu da pista sozinho e caiu para 21º. Ele se recuperou, mas acabou parando na disputa do 11º posto com Dani Pedrosa e Scott Redding. No fim, Dovi perdeu os dois lugares na última reta e chegou em 13º.

            O italiano viu sua desvantagem crescer de 11 pontos para 33 para Márquez no mundial com suas provas para o fim.

            No fim, Cal Crutchlow superou Andrea Iannone - que chegou a ser o segundo colocado - e chegou em quinto lugar. O italiano da Suzuki foi o sexto, à frente de Jack Miller e Alex Rins. 

Mais uma vez muito bem, a KTM fechou o top-10 com Pol Espargaró e Bradley Smith.

Grid final na Australia, terra do cangurú

Pos.    Piloto                                     Moto

  1           Marc Marquez                                   Honda  #93

  2           Valentino Rossi                                  Yamaha #46

  3           Maverick Viñales                               Yamaha  #25

  4           Johann Zarco                                     Yamaha  #5

  5           Carl Crutchlow                                   Honda #35

  6           Andrea Iannone                                 Suzuki  #29

  7           Jack Miller                                           Honda  #23

  8           Alex Rins                                             Suzuki  #42

  9           Pol Espargaro                                    KTM #44

10           Bradley Smith                                    KTM  #38

11           Scott Redding                                    Ducati  #45

12           Dani Pedrosa                                     Honda #26

13           Andrea Dovizioso                              Ducati  #4

14           Karel Abraham                                  Ducati #17

15           Jorge Lorenzo                                    Ducati #99

16           Tito Rabat                                            Honda  #53

17           Alvaro Bautista                                   Ducati #19

18           Loris Baz                                             Ducati #76

19           Sam Lowes                                        Aprilia  #22

20           Hector Barbera                                  Ducati  #8

21           Danilo Petrucci                                   Ducati #9

22           Broc Parkes                                       Yamaha #23

Não terminaram:

Piloto                                     Moto

Aleix Espargaro                                 Aprilia #41

            A próxima corrida acontece na semana que vem, o GP da Malásia.

 

A semana do mercado automobilístico

            A Chevrolet traz ao Brasil a Equinox, a substituta da Chevrolet Captiva e concorrente da  Tracker.

            Fabricada no México, por duas razões que é o aproveitamento da planta que já fabricava a Tracker e também, sendo importada, não é acessível à taxistas, mas sim para UBER’s, que compra veículos sem os descontos oferecidos aos taxistas.

            A Equinox, vem ao Brasil somente na versão Premier, top de linha, equipada com motor 2.0 turbo a gasolina, entregando 262cv acoplado a um câmbio automático de 9 marchas e tração integral.

            Mas, seu consumo é alto, média de 9,87 km/h entre cidade e estrada.

            Itens de série como direção elétrica (que não usa a força do motor), sistema start stop e botão de controle da tração, que desativa a tração traseira.

            Uma novidade é a grade frontal móvel, que se posiciona do jeito que provoque menos resistência do ar e menos arrasto.

            Numa avaliação do designer interno, a Equinox mais parece um ônix totalmente inchado.

            O Renault Kwid, em sua versão intermediária Zen, possui atrativos que o levaram para a segunda posição de mais emplacados no estado de São Paulo.

            Equipado com direção elétrica, vidros e travas elétricas, a versão Zen chega a consumidor ao preço de R$ 35.990,00.

            Equipado com o novo motor Renault 1.0 de 3 cilindros e 12 válvulas, o Kwid se mostra um carro econômico, confortável e confiante.

            Uma boa escolha para quem quer um carro zero km, de designer inovador e preço acessível.

            E para quem comprou carro zero e terminou a garantia, segue abaixo dicas básicas para que não tenha surpresas com problemas mecânicos:

1 – Troca de óleo: cada fabricante recomenda a troca de óleo a cada 5.000 ou 10.000 km, dependendo do óleo usado, recomendado pelo fabricante;

2 – Independente da km para a troca de óleo, a cada duas trocas, deve-se trocar o filtro de óleo e em todas as trocas analisar o filtro de ar, Se o mesmo estiver sujo, tem que ser substituto, pois influencia diretamente no consumo do carro.

3 – O aditivo do radiador deve ser trocado a cada 2 anos;

4 – Os pneus, devem ter acompanhamento para que se constate o desgaste dos mesmos. Se o desgaste se dá mais nas laterais que no centro, ou se dá de maneira desigual, passe urgente em uma empresa especializada em pneus e suspensão para uma análise e correção do problema;

5 – Se quer saber se o rodízio e pneus funciona, faça um simples teste em sua casa: calce o sapato do pé direito no pé esquerdo e vice versa e tente andar 10 minutos. O que você vai sentir é a mesma coisa que acontece em um carro. Cada um dos 4 pneus suporta um peso diferente dos outros pneus e apoia no chão também em posição diferente. Nenhum dos 4 pneus tem desgaste idênticos. Fazer o rodízio, danifica a suspensão e abrevia a vida útil dos pneus;

6 – Correias dentada e do alternador: essas correias, por serem de borracha, tem vida útil de até 40.000 km. Sua substituição requer oficina especializada;

7 – Freios: os freios tem vida útil de algo em torno de 25 a 30.000 km. Vale passar em oficina de confiança e verificar as condições dos freios, principalmente quando for viajar;

8 – Suspensão: a suspensão é responsável pela estabilidade e segurança do carro em altas velocidades e curvas. É necessário fazer um check-up a cada 20.000 km.;

9 – Parte elétrica / eletrônica: oficinas especializadas possuem equipamentos de ponta que detectam problemas em todo sistema elétrico e eletrônico antes mesmo que ocorra o problema;

10 – Limpadores de parabrisas: trocar as palhetas a cada 15.000 km. Por serem de borracha ou silicone, elas sofrem desgaste excessivo;

11 – Ar condicionado: a cada 4 meses, efetuar a higienização do sistema de ar condicionado e a troca do filtro;

12 – A cada 50.000 km, procurar mecânico de sua confiança e solicitar uma revisão completa no sistema de injeção eletrônica e substituir as velas de ignição.

13 – manter sempre abastecidos os reservatórios de água do radiador, água para lavagem do parabrisas e o reservatório de partida a frio (para carros a Etanol e carros Flex);

14 – Por fim, confira constantemente a calibragem dos pneus do carro, “inclusive” do estepe.

           

Volta Rápida

- Felipe Massa tem esta semana uma semana decisiva. A Willians está conversando com ele para a renovação. Mas a condição é se ele está motivado para mais uma temporada na Willians. Isso porque o carro de 2018 deverá ser totalmente diferente do usado este ano.

Agora, cabe ao Felipe dar sua resposta.

- Fernando Alonso disse que a performance da McLaren nos Estados Unidos foi primorosa e que no México a escuderia poderá surpreender.

- Carlos Sainz Jr., que estreou na equipe Renault, foi eleito pelos jornalistas do mundo todo como o melhor piloto da corrida. Sainz largou na P15 e terminou a corrida na P7.

- A Red Bull promoveu uma atualização na unidade motora do carro de Max Verstappen, mas não no carro de Daniel Ricciardo. Dani, quando soube ao final da prova sobre essa atualização, ficou muito chateado, pois nitidamente a equipe favorece Verstappen.

- E tá chegando o dia. Djalma Fogaça, o ‘Monstro”, piloto sorocabano, campeão da F-Ford na década de 90 e hoje piloto da Copa Truck e empresário, que em 2018 estará pilotando um Truck IVECO, criou o 1° Monster Kart Experience. A disputa acontecerá no novíssimo kartódromo de Laranjal Paulista, cuja pista foi projetada pelo próprio Djalma.

As inscrições estão abertas a quem se sentir capaz de disputar com feras do kart. Mais informações no site www.monsterexperience.com.br. A primeira prova acontece domingo (29), no Arena Usual em Laranjal Paulista.  Estaremos presente disputando um lugar ao pódio.

 

Fale conosco, estamos esperando sua sugestão sobre matérias, críticas e comentários. Você, amigo leitor, é nosso principal combustível. Esta coluna é feita para você. Nosso e-mail à sua disposição 24 horas, 7 dias por semana é motor14news@gmail.com.

Uma boa semana, automaníacos. Até a próxima.

“Eu não sabia da atualização do motor do Max. Daniel Ricciardo, sobre a nova versão do motor Renault atualizado usado no carro de Max Verstappen.

 

Reinaldo dos Santos Filho mora em São Manuel/SP, tem 49 anos, é jornalista especializado em automobilismo, administrador de empresas, escritor, piloto profissional e motociclista. Pai do Thiago Augusto, Roberta, Luís Guilherme e Giovanna.

Matéria sob responsabilidade do autor (Mtb 82.886/SP)