REINALDO FILHO 08/05/2018 09:16

MotoGP, NASCAR e Volta Rápida na Power Racing News

Marc Marquez vence sem ser o mais rápido na Espanha

A 37ª vitória da carreira de Marc Márquez foi ofuscada pelo acidente triplo envolvendo aqueles que o perseguiam pela liderança da prova.

Jorge Lorenzo era o segundo colocado e recebia a pressão de Andrea Dovizioso, seu companheiro de equipe, mas tinha Dani Pedrosa logo atrás. Faltando oito voltas para o fim, Dovi viu uma brecha para passar Lorenzo, ambos ficaram pelo lado de fora da curva 6, Pedrosa tentou passar os dois por dentro, mas os três acabaram se encontrando na curva e foram ao chão, dando a tranquilidade necessária para Márquez completar a prova em primeiro.

Johann Zarco foi o segundo colocado, seguido de Andrea Iannone. Valentino Rossi foi o quinto colocado da prova.

Na largada, Jorge Lorenzo pulou à frente, seguido de Dani Pedrosa e Johann Zarco. Cal Crutchlow caiu para a quarta posição, perdendo este posto para Marc Márquez na segunda volta.

O atual campeão mostrou força, quando superou Zarco pela terceira colocação quando restavam 23 voltas. Ao mesmo tempo, Aleix Espargaró abandonou, com problemas mecânicos em sua Aprilia.

No giro seguinte, Márquez passava pelo seu companheiro de equipe pela segunda posição e partiu para o ataque em cima de Lorenzo, que era o único com pneu dianteiro macio do grid.

Rossi era o nono colocado e Dovizioso ocupava a sexta posição nas primeiras voltas da corrida.

Alex Rins foi ao chão na curva 11, restando 19 voltas. Depois foi a vez do pole position da prova, Crutchlow, cair na curva 1. Márquez assumiu a ponta da prova quando restavam 17 giros para o fim, após Lorenzo ter dificuldades com a moto desequilibrada.

Enquanto isso, Dovizioso avançava e já ocupava o quarto posto, muito próximo dos ponteiros.

O atual líder do campeonato assumiu a terceira colocação, ao manobrar sobre Pedrosa, já visando seu companheiro de equipe.

Outro que foi ao chão foi Karel Abraham, também na curva 1, restando 15 giros.

Aos poucos, Márquez começava a abrir sobre Lorenzo, que "segurava" Dovizioso, que também sofria pressão de Pedrosa, no início da segunda metade da corrida.

Faltando 8 voltas para o final, após a tentativa de Dovizioso passar Lorenzo por fora, ao mesmo tempo Pedrosa tentou manobrar sobre Dovi, mas os três envolvidos se tocaram e caíram, deixando o caminho livre para o triunfo de Márquez.

Com a tripla queda, Zarco ocupava a segunda posição e Danilo Petrucci a terceira. Rossi subiu para  quinto.

Com mais de sete segundos de diferença para o segundo colocado, Márquez recebeu a bandeira quadriculada com extrema tranquilidade.

Zarco confirmou o segunda colocação e Iannone conseguiu superar Petrucci no fim.

TOP TEN na Espanha

Pos.      Piloto                                                  Equipe / Moto

  1. Marc Márquez                                 Repsol Honda Team / Honda
  2. Johann Zarco                                 Monster Yamaha Tech 3 / Yamaha
  3. Andrea Iannone                            Team Suzuki Ecstar / Suzuki
  4. Danilo Petrucci                              Alma Pramac Racing / Ducati
  5. Valentino Rossi                             Movistar Yamaha MotoGP / Yamaha
  6. Jack Miller                                     Alma Pramac Racing / Ducati
  7. Maverick Vinäles                           Movistar Yamaha MotoGP / Yamaha
  8. Alvaro Bautista                               Angelo Nieto Team / Ducati
  9. Franco Morbidelli                           Egg 0,0 Marc VDS / Honda
  10. Mika Kallio                                       Red Bull KTM Factory Racing / KTM

A MotoGP volta em Le Mans, no dia 20 de maio.
 

Kevin Harvick absoluto vence em Dover

Kevin Harvick venceu neste domingo a “AAA 400”, 11ª etapa da NASCAR Cup Series em 2018. Foi a quarta vitória dele na temporada, 41ª na carreira e segunda no Dover International Speedway, a “Milha Monstro”.

Harvick dominou a prova, venceu os dois segmentos iniciais e liderou 201 das 400 voltas. Ele perdeu posições em seu penúltimo pit stop, mas conseguiu avançar e deixou Clint Bowyer para trás a 62 voltas do final.

Os dois pilotos da Stewart-Haas acabaram separados por 7s450. Bowyer havia tomado a liderança de Ricky Stenhouse Jr. restando 102 voltas, um pouco antes da chuva começar a cair e interromper a prova por mais de 30 minutos. Depois, houve mais uma rodada de pit stops e 75 voltas em bandeira verde.

Daniel Suarez chegou na terceira posição. Martin Truex Jr. se recuperou de um pneu furado para ficar em quarto, seguido por Kurt Busch. Kyle Busch teve problemas enquanto andava em terceiro. O pole Kyle Larson largou no final do grid por infração técnica, mas terminou em décimo.

A prova teve seis líderes e 17 trocas na liderança, e mais oito bandeiras amarelas.

TOP TEN em Dover

Pos.      Piloto                                                  Carro

  1. Kevin Harvick                                  #4 Ford Fusion
  2. Clint Bowyer                                    #14 Ford Fusion
  3. Daniel Suarez                                 #19 Toyota Camry
  4. Martin Truex Jr.                               #78 Toyota Camry
  5. Kurt Busch                                       #41 Ford Fusion
  6. Brad Keselowski                              #2 Ford Fusion
  7. Denny Hamlin                                  #11 Toyota Camry
  8. Ryan Blaney                                     #12 Ford Fusion
  9. Jimmie Johnson                               #48 Chevrolet Camaro SS
  10. Kyle Larson                                      #42 Chevrolet Camaro SS

A próxima etapa da NASCAR CUP será no Kansas, no domingo (13).

           

Volta Rápida

- "A Red Bull criou um monstro, e depois de contratá-lo em um acordo multimilionário, ele acredita que é o piloto número 1 da equipe. Na verdade, a maneira como ele corre é como se ele ainda estivesse na F3. Se comandasse a equipe (Red Bull), o trocaria por Pierre Gasly e o colocaria de volta na Toro Rosso (a equipe júnior da Red Bull para quem Gasly pilota), para aprender como ser um piloto de F1, até ele perceber que pilotar tão imprudentemente é perigoso. Eles criaram um monstro e é difícil controlá-lo agora", disse John Watson, ex-piloto britânico e atual analista da categoria, que começou sua trajetória na F1 em 1973, sobre o comportamento e as atitudes de Max Verstappen.

- Os planos para uma corrida da Fórmula 1 em Miami, que poderá ter sua primeira edição realizada em outubro de 2019, serão considerados em uma reunião da comissão da cidade na próxima terça-feira.

A pista projetada atravessa a American Airlines Arena, que abriga a equipe Miami Heat da NBA, e o pit e paddock estarão adjacentes a ela.

A partir da linha de largada e chegada, o circuito passa pela Biscayne Boulevard antes de virar e continuar na mesma rua. Em seguida, vai para a direita para uma área de alta velocidade em Port Boulevard, atravessando uma ponte.

Depois de um hairpin, volta pela 6th Street na mesma ponte para um segundo hairpin antes de um longo trajeto pela área costeira antes de passar por uma série de curvas de 90° para retornar para linha de largada e chegada.

Algumas partes da pista lembram o circuito urbano original de Miami, usado pela primeira vez em 1983 pelo IMSA, que também usou o Biscayne Boulevard e percorreu a área onde a American Airlines Arena está localizada atualmente.

Em 1986, a administração local fez com que o evento do IMSA fosse movido ligeiramente para o norte, para o Bicentennial Park. Ele também foi usado na direção oposta para uma corrida da ChampCar em 1995, vencida por Jacques Villeneuve.

No entanto, a CART retornou ao local original para duas corridas realizadas em 2002 e 2003, onde havia alguns elementos em comum com a pista do IMSA e o Biscayne Boulevard foi usado novamente.

O automobilismo retornou à cidade em 2015, quando a Fórmula E percorreu um curto-circuito de 2,4 km ao redor do estádio, mas depois foi para o norte.

O projeto proposto para a F1 é o primeiro a ter uma viagem de ida e volta sobre a água, embora uma ideia similar tenha sido discutida por Bernie Ecclestone com Ralph Sanchez, o promotor original do GP de Miami, na década de1980.

É claro que as duas longas retas, seguidas por duas fortes zonas de frenagem, ajudarão a ver uma ação semelhante à de Baku.

- Helio Castroneves venceu neste domingo, em MId-Ohio, a quarta etapa da temporada 2018 do IMSA, correndo ao lado do norte-americano Rick Taylor no comando do Acura DPI da equipe Penske, que teve Juan Pablo Montoya e Dane Cameron completando as 125 voltas da corrida na segunda posição.

No comando de um Mazda DPI, o britânico Oliver Jarvis e o norte-americano Tristan Nunez completaram o pódio.

- Como era de se esperar, a Toyota teve amplo domínio nas 6 Horas de Spa deste sábado, no mítico circuito belga. O carro #8 liderado por Fernando Alonso, Kazuki Nakajima e Sebastien Buemi foi o grande vencedor, seguido pelo #7 de Kamui Kobayashi, Jose Pechito Lopez e Mike Conway.

O ponto polêmico da prova foi justamente entre os dois carros da montadora japonesa. Na última meia hora, com Alonso e Conway na briga, o britânico esteve a ponto de ultrapassar o espanhol por duas vezes, demonstrando melhor ritmo. Na primeira vez, acabou indo aos pits para a última parada de abastecimento. Na volta, quando tinha um segundo do piloto da McLaren na F1, acabou diminuindo o ritmo, deixando Alonso seguir em frente.

Foi a primeira vitória de Alonso em cinco anos, quando triunfou no GP da Espanha de 2013.

O Brasil não esteve fora da festa, com o carro #1 de Bruno Senna na terceira posição. O brasileiro teve Neel Jani e Andre Lotterer como parceiros.

- Treinados por Jean Alesi, que ganhou o GP do Canadá de de 1995 e Matteo Bobbi, ex-piloto de testes da Minardi, os jovens que fazem parte do programa da Jean Alesi eSports Academy terão a oportunidade de aprender segredos de pilotagem e, em última instância, conseguir vagas de pilotos de simulador, pilotos de teste ou como titulares em equipes de esporte a motor.

"Durante minha carreira, pilotei muitos carros de diferentes categorias, mas o que caracterizou o caminho que tomei foi o apoio constante e caloroso dos torcedores", disse Alesi.

"Agora, pela primeira vez, os entusiastas dos esportes motorizados têm a oportunidade de se tornarem protagonistas graças aos eSports e estou entusiasmado por mudar de função para compartilhar a minha experiência e lhes dar o apoio e a emoção que me deram durante anos".

- A DragonSpeed explicou que houve um problema elétrico momentos antes de Pietro Fittipaldi bater na barreira de pneus na saída da curva Eau Rouge nesta sexta-feira, durante o treino classificatório das 6 Horas de Spa.

O chefe da DragonSpeed, Elton Julian, disse que "Todo mundo viu o que aconteceu, e era bem evidente que havia um problema elétrico porque as luzes piscaram e desligaram. Precisamos entrar em detalhes com todos os envolvidos, mas parece que ele não tinha direção. A grande questão que precisamos responder é porque."

Julian revelou que o carro foi destruído no acidente e não pôde ser consertado.

"Não é reparável, mas definitivamente fez o seu trabalho de forma impressionante", explicou ele.
Julian não soube dizer sobre o futuro do programa da DragonSpeed na LMP1 na super temporada de 2018/2019 do WEC.

"É cedo para falar sobre isso. No momento, nossa prioridade é a saúde de Pietro", disse ele.

Fittipaldi sofreu uma fratura exposta de sua perna esquerda e uma tornozelo direito no acidente.

Ele foi submetido a cirurgia no hospital em Liège na noite passada e foi removido da UTI nesta manhã. O jovem de 21 anos deverá permanecer no hospital na Bélgica por vários dias.

O pai de Fittipaldi, Gugu da Cruz, afirmou que seu filho poderia estar pronto para retomar seus programas na Indy e Super Fórmula em oito semanas.

Pietro é neto do bi campeão da F-1 e da Infy, Emerson Fittipaldi.

 

Fale conosco, estamos esperando sua sugestão sobre matérias, críticas e comentários. Você, amigo leitor, é nosso principal combustível. Esta coluna é feita para você. Nosso e-mail à sua disposição 24 horas, 7 dias por semana é motor14news@gmail.com.

Parceiro: www.planetavelocidade.com.br

Uma boa semana, automaníacos. Até a próxima.

 

“A Red Bull criou um monstro. Agora, o único jeito seria devolvê-lo  à Toro Rosso para que aprenda a ser um piloto de verdade.

             John Watson, ex piloto britânico e atual analista da F-1 sobre Max Verstappen.

 

Reinaldo dos Santos Filho mora em São Manuel/SP, tem 49 anos, é jornalista especializado em automobilismo, administrador de empresas, escritor, piloto profissional e membro da Irmandade M.C.. Pai do Thiago Augusto, Roberta, Luís Guilherme e Giovanna.

Matéria sob responsabilidade do autor (Mtb 82.886/SP)