CORRIDA 12/10/2019 08:02

PM que ficou na cadeira de rodas após acidente é exemplo de superação no esporte

Cabo Rafael Panhoça durante corrida.

O Policial Militar Cabo Rafael Antônio Panhoça, conhecido como Rex, é atleta amador em Botucatu e é um exemplo de superação e incentivo ao esporte.

O botucatuense possui uma história fascinante de superação através do esporte. Ele quase morreu após um acidente quando estava em serviço na Polícia Militar, conduzindo uma viatura, fazendo escolta de preso, e ficou em uma cadeira de rodas, enfrentando intermináveis sessões de fisioterapia.

Ele foi homenageado na Câmara Municipal pelo vereador Sargento Laudo (PP). 

No dia 03 de janeiro de 2014 o Cabo PM Rafael transitava por uma rodovia, momento em que outro veículo cruzou a via, colidindo com a viatura. O acidente resultou em lesões graves permanentes, como perda do nervo radial do braço direito, limitando sua mão, lesões no joelho direito e tornozelo esquerdo.

Rafael passou por cinco cirurgias, ficou 16 dias internado, quatro meses acamado, 60 dias em uma cadeira de rodas e fez fisioterapia por cerca de três anos. Com a fratura já consolidada e autorização médica, buscou praticar atividades físicas como corrida e bicicleta para evitar a depressão, já que se encontrava em estado grave de ansiedade.

"O Cabo PM Rafael então começou a fazer fortalecimentos e a correr na esteira e logo já estava correndo pelas ruas de Botucatu. Diante dos treinos foi ganhando espaço e conhecendo outros atletas amadores da cidade e região. Passou a ter uma assessoria esportiva e seu desenvolvimento tomou um tamanho inesperado, resultado diário de muita dedicação esforço, garra e determinação", informa o vereador.

Nesse período de aproximadamente 12 meses correndo, conseguiu alcançar resultados expressivos. Foram diversos pódios em Botucatu, Avaré, Barra Bonita, Areiópolis e São Manuel, entre outros.

Recentemente surgiu mais um obstáculo na vida de Rafael. Com muitas dores no tornozelo, ele procurou atendimento médico e, após um exame de raio-X, foi diagnosticado com uma artrose traumática.

O médico que o assistiu disse que o caso é pós-traumático do acidente em 2014 e foi se agravando nos últimos anos. Rafael foi obrigado a diminuir as corridas de ruas e montanhas e se direcionar para outros esportes.

Mais uma vez, o Policial Militar Rafael não se abateu e decidiu então treinar em esteira para diminuir impacto e começar firme os treinos de bicicleta, assim possibilitando continuar fazendo o que gostava e agora participa mais de provas curtas e também o duathlon.

Documento com a homenagem - Parte integrante da Moção n° 166/2019:

O exemplo do Cabo PM Rafael é motivo de orgulho para a família e seu sonho é incentivar e motivar pessoas que tenham qualquer limitação, buscando a prática da atividade física para tratar a depressão e ainda motivar pessoas sedentárias a buscar a saúde física e mental.

Diante de tal experiência de vida e do exemplo que merece ser seguido e servir como incentivo à prática de atividades esportivas que podem ser instrumentos de transformação, assim, 

APRESENTAMOS à Mesa, depois das considerações do Plenário, MOÇÃO DE CONGRATULAÇÕES para o atleta botucatuense CABO PM RAFAEL ANTÔNIO PANHOÇA, por sua inspiradora trajetória esportiva sendo um exemplo de superação e incentivo ao esporte.

Plenário “Ver. Laurindo Ezidoro Jaqueta”, 7 de outubro de 2019.

Vereador Autor SARGENTO LAUDO-PP.

(do 14News)