POWER RACING NEW 13/03/2018 08:37

Stock Car Brasil e sua Corrida de Duplas, NASCAR, IndyCar abrindo sua temporada e Volta Rápida

Stock Car abre a temporada 2018 com a Corrida de Duplas em Interlagos com vitória de Daniel Serra

Interlagos, como de praxe, foi palco da Corrida de Duplas, realizada sábado (10), que marcou a etapa de abertura da temporada da Stock Car 2018.

A pista, conhecida entre outras coisas, pelo clima incerto e muitas vezes traiçoeiro, em decorrência da proximidade da represa de Guarapiranga, aprontou uma das suas.

Pouco antes da largada um dilúvio caiu sobre Interlagos tomando conta de todo o autódromo durante a volta de apresentação, forçando os pilotos a irem aos pits trocar seus pneus por de chuva. Com isso, mudou o andamento do que seria a prova, atrasada em meia hora.

Daniel Serra / J. P. de Oliveira, dupla do carro #29 porém, não se intimidou e garantiu a vitória da etapa de abertura.

O piloto convidado pelo atual campeão largou na pole, mas perdeu ritmo rapidamente, sem se distanciar muito dos líderes. Após as entradas de dois Safety Cars, Serra recuperou o desempenho já mostrado em 2017 para a vitória.

Rubens Barrichello / Felipe Albuquerque chegaram na P2, Cesar Ramos e Kelvin Van der Linde, na P3. Ricardo Mauricio / Felipe Nasr e Ricardo Zonta / L. Vanthoor completaram o top-5.

Felipe Massa, em sua primeira corrida oficial em uma categoria fora da F1, assumiu o carro #0 de Cacá Bueno na parte final da corrida e finalizou a prova na P13. Cacá chegou a estar entre os cinco primeiros, mas a dupla perdeu performance no final. 

Atualização: A dupla Kelvin Van der Linde e Cesar Ramos foi punida em 20 segundos por ter parado durante o período de Safety Car. Com isso, eles caíram de 3º para a 12ª colocação. Ricardo Maurício e Felipe Nasr herdaram o terceiro lugar.  

A Corrida

Antes da prova começar, a Stock Car anunciou os vencedores do FanPush: Bruno Baptista, Lucas di Grassi, Átila Abreu, Nelsinho Piquet, Rubens Barrichello e Bia Figueiredo ganharam um botão de ultrapassagem adicional.

Aos sete minutos, foi dada a largada. JP de Oliveira disparou na frente, enquanto que Lucas di Grassi bateu logo no fim da reta principal. Cesar Ramos assumiu o segundo posto, enquanto que Filipe Albuquerque vinha em terceiro.

Mas a briga entre os três primeiros ficou intensa e Ramos assumiu a ponta quando restavam 47 minutos. O companheiro de Daniel Serra foi superado também logo em seguida por Albuquerque.

Ainda na primeira metade, Cacá Bueno foi crescendo na prova, chegando ao quinto posto , depois de largar em 11º. Mais tarde, foi a vez dele ultrapassar Oliveira pela quarta colocação.

Faltando 33 minutos, Zonta assumiu a terceira posição em cima do #111 de Albuquerque. Logo depois, Nico Muller teve o pneu traseiro direito estourado, o que levou a chamada do Safety Car, devido à sujeira na pista, com a janela de paradas para a troca de pneus e pilotos aberta.

Faltando 22 minutos foi dada nova largada sem acidentes. Nas voltas seguintes ainda foram feitas outras paradas para trocas de pneus e pilotos. Mas logo em seguida, o carro #33, dividido entre Nelsinho Piquet e Robin Frinjs rodou, trazendo o carro de segurança novamente à pista.

Nova relargada foi dada restando menos de 10 minutos e Genz e Osman, que ainda não haviam parado disputavam a ponta. Mas na prática, Daniel Serra era o líder, seguido de Barrichello e Linde.

Aos poucos o atual campeão foi se livrando de Barrichello para garantir a primeira vitória do ano. Barrichello manteve o segundo posto, seguido de Linde, Ricardo Mauricio, que fez dupla com Felipe Nasr e Vanthoor.

Felipe Massa terminou na P13.

Confira o resultado final da prova:

Pos.               Carro / Dupla

  1                   #29     D. Serra / J.P. Oliveira

  2                   #111   R. Barrichello / F. Albuquerque

  3                   #30     C. Ramos / K.V.D. Linde

  4                   #90     R. Mauricio / F. Nasr

  5                   #10     R. Zonta / L. Vanthoor

  6                   #65     M. Wilson / F. Giaffone

  7                   #80     M. Gomes / P. Derani

  8                   #18     A. Khodair / A. Hellmeister

  9                   #8       R. Suzuki / J. K. Vernay

10                   #117   G. Salas / M. Altuna

11                   #12     L. Foresti / J. D’ambrosio

12                   #51     A. Abreu / M. Winterbottom

13                   #0       Cacá Bueno / Felipe Massa

14                   #1       A. Pizzonia / O. Jarvis

15                   #9       G. Lima / G. Myasava

16                   #77     V. Brito / J. Bleekemolen

17                   #55     S. Jimenez / F. Carbone

18                   #43     V. Meira / V. Orige

19                   #25     T. Rocha / R. Matos

20                   #5       D. Navarro / F. Girolami

21                   #28     G. Osman / D. Fineschi

22                   #84     T. Marques / F. Croce

23                   #46     V. Genz / D. Muffato

24                   #4       J. Campos / J. Green

25                   #110   F. Lapenna / G. Robe

26                   #44     B. Baptista / N. Figueiredo

27                   #33     N. Piquet Jr. / R. Frijins

28                   #70     D. Nunes / L. Burti

29                   #21     T. Camilo / N. Muller

30                   #3       Bia Figueiredo / B. Monteiro

31                   #88     F. Fraga / N. Catsburg

32                   #83     G. Casagrande / C.V.D. Drift

33                   #11     L. Di Grassi / A. Farfus      

 

Lembrando que a direção de prova puniu com a soma de 20 segundos ao tempo final de prova, a dupla Cesar Ramos / Kelvin Van der Linde por ter feito um pit durante o Safety Car na pista. Com isso, eles caíram de 3º para a 12ª colocação. Ricardo Maurício e Felipe Nasr herdaram o terceiro lugar e as demais duplas, até a P12 subiram 1 posição. Mas temos que esperar o decorrer dos dias pois a equipe Blau irá recorrer da punição a seus pilotos.  

Novo encontro com a Stock dia 8 de abril, em Curitiba. Sempre com transmissão pelo canal pago SporTV.

               

NASCAR Monster Energy Cup viu em Phoenix um Kevin Harvick imbatível

Kevin Harvick obteve sua terceira vitória seguida na NASCAR ao triunfar na TicketGuardian 500, em Phoenix.

Ele segurou a pressão de Kyle Busch para conquistar, pela primeira vez em sua carreira na principal divisão da NASCAR, um trio consecutivo de vitórias.

A 40ª vitória de Harvick na carreira veio sem a presença de Robert Smith, chefe do carro que foi suspenso por duas corridas por ter cometido violações na janela traseira e na saia lateral do #4 da Stewart-Haas em Las Vegas.

Chase Elliott terminou em terceiro, com Denny Hamlin e Martin Truex Jr fechando o top 5.

TOP TEN em Phoenix:

Pos.   Piloto                                                Carro

  1        Kevin Harvick                                  #4       Ford Fusion

  2        Kyle Busch                                      #18     Toyota Camry

  3        Chase Elliott                                    #9       Chevrolet Camaro SS

  4        Denny Hamlin                                 #11     Toyota Camry

  5        Martin Truex Jr.                               #78     Toyota Camry

  6        Clint Bowyer                                    #14     Ford Fusion

  7        Aric Almirola                                    #10     Ford Fusion

  8        Daniel Suarez                                 #19     Toyota Camry

  9        Erik Jones                                        #20     Toyota Camry

10       Kurt Busch                                       #41     Ford Fusion

                     

O Auto Club Speedway, em Fontana, recebe a Nascar no próximo final de semana, com transmissão ao vivo pelo canal FoxSports2.

 

IndyCar abre sua temporada 2018 em St. Petersburgo com vitória de Sebastien Bordais

Se em 2017, Bourdais largou em último por conta de um acidente na classificação,

já no último fim de semana, uma bandeira vermelha no qualify o fez largam na P16.

Mas aí, após um pit forçado para troca de um pneu furado, Bordais voltou em último e, numa estratégia inteligente de seu chefe, Dale Coyne, Bordais viu a P1 cair em seu colo, com a entrada nos pits de todo pelotão, ficando somente ele na pista, por mais algumas voltas, com bandeira amarela.

Mesmo se não conseguisse acompanhar o ritmo de Robert Wickens e Alexander Rossi, que brigavam pela P1, as chances de vitória para o tetracampeão aumentaram quando ele conseguiu uma boa vantagem na pista sobre Wickens e Rossi.

E quando Wickens e Rossi se tocaram na penúltima volta, Bourdais assumiu a ponta para conquistar sua 37ª vitória na carreira, a segunda seguida na pista da Flórida.

“Estávamos contentes com o terceiro lugar até as duas últimas bandeiras amarelas. Mas as amarelas sempre deixam tudo interessante. Mas no ano passado tínhamos um carro top 3 e chegamos do fundo para vencer. Hoje não tínhamos um carro top 3, mas, após o furo no pneu, escalamos de trás e vencemos novamente. Tivemos sorte. Mesmo se Sebastien tivesse uma participação normal na classificação, não estaríamos na frente. Com esse novo kit aerodinâmico, que agora é padrão para todos os carros, ainda nos falta equilíbrio entre a parte da frente e de trás nesse tipo de pista. Não entendemos completamente o que esse carro faz, o que cada mudança faz. Em Barber deveremos estar OK, mas em circuitos de rua. Temos trabalho a fazer.”, disse, feliz, Dale Coyne, chefe da equipe de Bordais.

Grahal Rahal terminou na P2 e Rossi na P3. Confira abaixo o TOP TEN da prova.

Tony Kanaan foi  P11, e Matheus Leist, abandonou a prova.

 

TOP TEN de St. Pete:

Pos.               Carro / Piloto

  1                   #18     Sebastien Bordais

  2                   #15     Graham Rahal

  3                   #27     Alexander Rossi

  4                   #5       James Hinchcliffe

  5                   #28     Ryan Hunter-Reay

  6                   #9       Scott Dixon

  7                   #1       Josef Newgarden

  8                   #10     Ed Jones

  9                   #98     Marco Andreti

10                   #12     Will Power

 

A Indy volta a pista em Phoenix, no ISM Raceway, dia 07 de abril.

           

Volta Rápida

- Após se classificar em terceiro no grid para sua estreia na Indy no último domingo (11), o estreante Matheus Leist, piloto brasileiro, sofreu com a falta de sorte na corrida.

Na largada caiu para P4, e logo em seguida seu carro apresentou problema mecânico, o forçando a ir para os boxes. Após ficar diversas voltas no box tentando reparar o carro, ele retornou à pista e acabou batendo.

Mesmo com a corrida ruim, Leist considera extremamente positivo seu final de semana, pois ficou a menos de 0s1 do pole na classificação.

É mais uma promessa brasileira que é “adotado” pelos Estados Unidos.

- A Renault aceitou ter “dores de cabeça” no resfriamento de seu carro para alcançar melhor performance aerodinâmica, admitiu o chefe técnico da equipe na F1, Bob Bell.

A fabricante francesa deu um passo significativo à frente em 2017 e suas expectativas cresceram ainda mais para esta temporada, que será sua terceira desde que retornou à F1 como equipe própria.

Bell afirmou que a Renault foi agressiva no chassi e não fez adequações para ajudar no resfriamento do motor, mesmo que o regulamento determine que menos componentes poderão ser utilizados nesta temporada.

“Isso pode afetar algumas das condições térmicas que temos para integrar a unidade de potência ao chassi, mas não muito. Se você olhar o carro e compará-lo ao do ano passado, verá que fomos além para tentar apertar todos os componentes. Isso torna mais difícil a administração do fluxo térmico do carro.”, disse Bell sobre o desenvolvimento do carro e também sobre o impacto das novas regras da F1.

- A Red Bull foi na contramão da Renault e discordou do prazo estabelecido pela fornecedora de motores francesa para a definição do acordo para a temporada de 2019 da F1.

A equipe austríaca, que corre com propulsores da Renault desde 2007, ouviu de Cyril Abiteboul, chefe do time francês, que teria até maio para responder se gostaria de prosseguir com o acordo para o ano que vem.

Abiteboul, na ocasião, usou como argumento o Regulamento Esportivo da FIA para tal prazo, citando, especificamente, o dia 15 de maio para data limite.

No entanto, o chefe da Red Bull, Christian Horner, desmentiu o parceiro e disse que, na verdade, iria esperar até o fim do verão europeu (entre junho e setembro) para bater o martelo.

“O que entendemos é que maio é quando você deve dar uma indicação à FIA, mas isso não significa um compromisso. Isso será decidido no fim do verão. É um momento realista de quando as decisões têm de ser tomadas”, disse Horner em entrevista.

Horner indicou, porém, que está de olho em opções. “A Honda teve um começo fantástico com a Toro Rosso”, concordou. “Obviamente, estamos em uma boa posição para manter o olho em seu progresso na primeira metade do ano. Vamos acompanhá-la com grande interesse”, acrescentou. 

- Piloto da Mercedes na F1, Valtteri Bottas afirmou que o ritmo de classificação de sua equipe ainda é desconhecido antes do GP da Austrália, já que o time não achou necessário analisar isso durante os testes de pré-temporada.

Lewis Hamilton registrou o tempo mais veloz da Mercedes durante as duas semanas em Barcelona, mas ficou 1s3 atrás de Sebastian Vettel, que fez a melhor volta com a Ferrari. Bottas terminou 0s1 atrás do companheiro de equipe.

Contudo, a Mercedes se destacou durante as simulações de corrida, e Bottas afirmou que o foco em longa distância significa que não há um indicativo de como está o ritmo puro até que chegue a classificação em Melbourne, em duas semanas.

- Sebastian Vettel acredita que a Ferrari ainda precisa encontrar mais performance do SF71H, apesar dos tempos de destaque marcados durante os testes em Barcelona.

Na quinta-feira, Vettel liderou a tabela de tempos com ampla margem, incluindo o recorde não-oficial do circuito espanhol. No entanto, o alemão insistiu que ainda era cedo para traçar conclusões sobre a situação da Ferrari diante de seus potenciais rivais, como Mercedes e Red Bull.

 

Fale conosco, estamos esperando sua sugestão sobre matérias, críticas e comentários. Você, amigo leitor, é nosso principal combustível. Esta coluna é feita para você. Nosso e-mail à sua disposição 24 horas, 7 dias por semana é motor14news@gmail.com.

Parceiro: www.planetavelocidade.com.br

 

Uma boa semana, automaníacos. Até a próxima.

 

“Nossa relação com a Renault é mais próxima que a que tivemos com a Honda.

             Fernando Alonso, piloto da McLaren F1, sobre o relacionamento entre a McLaren e a fornecedora de motores.

 

Reinaldo dos Santos Filho mora em São Manuel/SP, tem 49 anos, é jornalista especializado em automobilismo, administrador de empresas, escritor, piloto profissional e motociclista. Pai do Thiago Augusto, Roberta, Luís Guilherme e Giovanna.

Matéria sob responsabilidade do autor (Mtb 82.886/SP)