EM POUCAS DÉCADAS 05/04/2019 11:06

4 alimentos que podem desaparecer com as mudanças climáticas

Foto: Divulgação

As mudanças climáticas estão no centro do debate das transformações ambientais provocadas pelo ser humano e pelo modus operandi da sociedade na qual vivemos - repleta de carros e indústrias, todos liberadores de gases nocivos ao planeta. O aquecimento global pode impactar esse contexto e inclusive desaparecer com alguns dos alimentos mais utilizados por você nas refeições diárias e nos momentos de confraternização. Confira quatro deles:

1. Vinho

A popular bebida, apreciada por muitos ao redor do mundo, pode estar com a produção comprometida em alguns anos. O aquecimento global está inviabilizando a produção em  regiões como França, Chile e Austrália. As mudanças climáticas, por exemplo, podem tornar Bordeaux, na França, inadequada para o plantio de uvas até 2050, segundo as previsões mais pessimistas. Portanto, aproveite a sua adega enquanto há tempo.

2. Café

Aquele cafezinho preto de todas as manhãs pode acabar por causa das mudanças climáticas. Tudo por causa das secas intensas, que tornarão o café mais difícil de cultivar e, por conseguinte, mais caro para comprar. A boa notícia para quem não consegue ficar sem a bebida é que a previsão para isso acontecer é só no próximo século. No entanto, estimativas indicam que 80% das áreas produtoras de café nas Américas Central e do Sul podem desaparecer já em 2050.

3. Chocolate

O chocolate, se não for extinto em quatro décadas, pode vir a ter preço de ouro. Uma pesquisa feita pelo Centro Internacional de Agricultura Tropical (CIAt) indica que se a elevação de 2 a 3 graus Celsius do planeta acontecer até 2050, as principais regiões produtoras de cacau estão comprometidas. Gana e Costa do Marfim, hoje, respondem por dois terços de toda produção mundial do cacau.

4. Peixe

Os peixes, que respondem por 17% da ingestão de proteína animal em todo o mundo, também correm sérios riscos de desaparecer, devido ao aquecimento do oceano. Um deles é o salmão. Segundo a associação americana National Wild Federation, as inundações atrapalham a reprodução do animal. A acidez dos mares também dificulta a formação do casco de pequenos moluscos, que servem de alimento para o salmão.

(com assessoria)