SERVIÇOS 25/01/2018 23:14

Ao comentar multas, CPFL diz que investiu na qualidade e a média sem energia foi de 7h ao ano

CPFL alega que investe em melhorias. (Foto: Arquivo)

Ao comentar multas de R$ 380 mil que a Aneel (Agência Nacional de Energia) aplicou contra ela, a CPFL Paulista alegou em resposta enviada ao site Agência14News que investiu na qualidade e que em média cada cliente ficou cerca de 7 horas sem energia.

A CPFL Paulista alegou ainda que investiu R$ 15 milhões em dois anos em Botucatu (SP) e que em média cada cliente ficou cerca de 7 horas sem energia.

Em matéria anterior a Aneel havia confirmado que a prestadora teve que ressarcir clientes em R$ 380 mil por problemas no atendimento em Botucatu, São Manuel, Itatinga e Pardinho (SP). O resultado é referente a 11 meses de fiscalização e com base na reclamação de consumidores. Desse montante, quase R$ 160 mil são referentes à cidade de Botucatu.

Sobre as multas a empresa também respondeu: "A CPFL Paulista vem investindo constantemente na melhoria e manutenção do sistema elétrico de Botucatu para torná-lo mais robusto e confiável, mantendo o elevado nível de qualidade nos serviços prestados. Nos últimos dois anos, foram investidos R$ 15,7 milhões na localidade pela concessionária. Na comparação entre 2016 e 2017, a CPFL Paulista ampliou em 280% os seus investimentos", informou a empresa.

 

TEMPO SEM ENERGIA

"A perenidade dos investimentos contribuiu para que a CPFL Paulista tivesse os melhores indicadores de continuidade no fornecimento de energia do País em 2016, segundo o ranking da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) – último dado disponível. Em média, os clientes da concessionária ficaram 7,62 horas sem energia durante o ano, o menor índice interrupção do Brasil e abaixo da média nacional, que é de 15,81 horas, de acordo com o regulador. A frequência das interrupções foi de 5 vezes ao ano, o terceiro mais baixo do País e também inferior à média nacional, de 8,87 vezes por ano".

Na reportagem anterior clientes alegaram que na quinta-feira passada em uma das chuvas houve imóveis que ficaram 16 horas sem energia no centro da cidade.

A CPFL ainda cita: "Sobre as informações disponíveis no site da ANEEL, a companhia esclarece que as mesmas refletem os dados fornecidos pela CPFL Paulista sobre indicadores técnicos, coletivos, de Duração Equivalente de interrupção por Consumidor por ano (DEC), Frequência Equivalente de Interrupção por Consumidor por ano (FEC) e compensações pagas aos consumidores devido a eventuais não cumprimentos de indicadores individuais de qualidade de fornecimento. Como mencionado no parágrafo anterior, a CPFL Paulista possui os melhores indicadores de DEC e FEC entre todas as distribuidoras do Brasil".

 

CONTROLE

"Cada município da área de concessão da CPFL Paulista é atendido por um ou mais conjuntos elétricos, assim chamados por compreenderem regiões cobertas por determinadas instalações que fazem parte do sistema de distribuição de energia elétrica (subestações, alimentadores / redes de distribuição, transformadores, etc) dedicadas ao atendimento daquela região ou município. Cada conjunto elétrico possui limite para os indicadores coletivos, definidos pela ANEEL", diz a CPFL.

"No âmbito individual das unidades consumidoras, há os indicadores DIC (Duração de interrupção individual por unidade consumidora), FIC (Frequência de interrupção individual por unidade Consumidora) e DMIC (Duração máxima de interrupção contínua por unidade consumidora), que também possuem limites estabelecidos pela ANEEL".

 

RECOMPENSA

A empresa continua: "Um eventual não cumprimento dos indicadores individuais implica em pagamento automático de compensação ao consumidor afetado. O ressarcimento ocorre por meio  da fatura mensal de energia elétrica, independentemente de o consumidor vir ou não a solicitar esse pagamento.  Há um prazo estabelecido em regulamento para que a distribuidora efetue o processamento dos cálculos desses indicadores, assim como para que haja a efetivação do pagamento da compensação na fatura de energia do consumidor".

"As compensações apontadas no site da ANEEL como tendo sido pagas ao longo de determinado período em cada conjunto elétrico que atende ao município de Botucatu, referem-se ao efeito de eventuais não cumprimentos de indicadores individuais de continuidade, apurados no âmbito de cada unidade consumidora atendida pela distribuidora nos referidos conjuntos elétricos", finaliza em nota enviada ao site Agência14News.

 

Reportagem anterior - CPFL é obrigada a ressarcir consumidores da região em 380 mil reais por decisão da agência reguladora

 

Curta o Facebook do Agência14News e fique por dentro das notícias de Botucatu e região: www.facebook.com/agencia14news

(do Agência14News)