CORRESPONDÊNCIAS 11/09/2019 21:24

Greve nos Correios limita alguns tipos de serviços de entrega

Funcionários durante greve.

Os Correios informam que colocou em prática seu Plano de Continuidade de Negócios para minimizar os impactos à população devido à greve dos seus funcionários, anunciada nesta quarta-feira, 11.

Medidas como o deslocamento de empregados administrativos para auxiliar na operação, remanejamento de veículos e a realização de mutirões estão sendo adotadas.

Os serviços com hora marcada (Sedex 10, Sedex 12, Sedex Hoje) estão com postagens temporariamente suspensas. Já a rede de atendimento está aberta em todo o país e os serviços, inclusive SEDEX e PAC, continuam sendo postados e entregues em todos os municípios. 

"Para mais informações, os clientes podem entrar em contato pelo telefone 0800 725 0100 ou pelo endereço http://www2.correios.com.br/sistemas/falecomoscorreios/", informa a empresa.

Na expectativa de uma solução que não comprometa ainda mais a situação financeira dos Correios, a empresa informa que entrou, nesta quarta-feira (11), com dissídio coletivo no Tribunal Superior do Trabalho (TST). Agora, a corte irá avaliar o processo de negociação, ouvindo as partes, e o relator produzirá um voto que será analisado por um colegiado do tribunal, em sessão a ser posteriormente agendada.

"Conforme amplamente divulgado, os Correios estão executando um plano de saneamento financeiro para garantir sua competitividade e sustentabilidade. Desde o início de julho, a empresa participa de reuniões com os representantes dos empregados, nas quais foram apresentadas a real situação econômica da estatal e propostas para o acordo dentro das condições possíveis, considerando o prejuízo acumulado, atualmente na ordem de R$ 3 bilhões. As federações, no entanto, apresentaram reivindicações que superam até mesmo o faturamento anual da empresa", diz a nota dos Correios.

 

SINDICATO

O Sindicato dos Enpregados da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos e Similares de Bauru, Araçatuba, Botucatu, Presidente Prudente e Região informou que em assembleia realizada na tarde de terça-feira, dia 10 de setembro, os Trabalhadores e Trabalhadoras dos Correios deflagraram greve a 0h desta quarta-feira (11).

"A greve é resultado da intransigência da diretoria dos Correios durante a Campanha Salarial deste ano. As negociações não evoluíram após a direção se negar a alterar sua proposta e descartar a mediação do Tribunal Superior do Trabalho. A empresa quer uma queda de braço com os Trabalhadores. A FINDECT esgotou todos os recursos de diálogo com a ECT. A proposta final da empresa antes da greve envolveu retirada de direitos e arrocho salarial", diz o sindicato.

Pontos defendidos pela categoria:

Redução de 26 para 23 tickets e de 30 para 27 tickets
Fim dos tickets nas férias (com a manutenção do vale cesta)
Fim do Vale Peru
Exclusão do Vale Cultura
Redução do Adicional noturno de 60% para 20%
Redução da gratificação de férias de 70% para 33%
Redução de 200% para 100% a hora extra em dia de repouso
Reajuste nos salários e benefícios de 0,80% – MENOS DE 1/3 DA INFLAÇÃO

Continua a nota do sindicato: "O salário recebido pelos funcionários dos Correios é o mais baixo dentre os funcionários concursados do Brasil, com a retirada e redução de direitos garantidos pelo ACT, muitos trabalhadores terão suas finanças comprometidas.

Junta-se a tudo isso a exclusão da possibilidade de incluir pais e mães no plano de saúde e as altas taxas de contribuição extraordinária paga ao POSTALIS e, pronto, teremos famílias em grave situação no final do mês.

Nosso papel com Sindicato, entidade que visa proteger os direitos da categoria e lutar por condições de trabalho, não vamos cruzar os braços e aceitar uma proposta dessas. Vamos lutar até o final para que possamos evitar essa navalhada no nosso Acordo Coletivo.

AGORA É GREVE!
Chegou o momento mais importante em termos de união da nossa Categoria. Agora é hora de mostrar ao governo e à atual diretoria da ECT o tamanho da força do Trabalhador. Apoie a greve, junte-se ao movimento paredista, exponha suas reivindicações junto conosco e some forças à nossa luta contra a retirada de direitos.

Precisamos lembrar que essa posição da diretoria da ECT tem como fundamento principal enfraquecer o trabalhador e suas entidades representativas, tudo para facilitar o processo de privatização, a venda de um patrimônio histórico e rentável, que é a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos.

A FINDECT, o SINDECTEB e demais os Sindicatos Filiados estão e continuarão se empenhando para fortalecer e unificar a luta da categoria. Mais do que nunca precisamos dos mais de 100 mil Trabalhadores e Trabalhadoras dos Correios unidos em defesa de seus direitos e salários.

Se você está em dúvidas sobre a importância da greve ou quer saber mais sobre o que o governo pretende fazer com nosso ACT, entre em contato com a diretoria do SINDECTEB ou delegado de sua região. Estamos todos prontos para informar o trabalhador sobre o que for preciso", finaliza o sindicato.

 

CIDADES COM ADESÃO, SEGUNDO O SINDICATO

Nota desta quarta do sindicato: "Greve: Ecetistas de diversas cidades participam do movimento. A ECT quis a greve, agora, é nossa vez de mostrar à direção que não se deve desafiar a união dos trabalhadores. A adesão à greve está sendo massiva nas cidades da base do SINDECTEB. Já foram confirmadas adesão nas cidades de:

Araçatuba
Bauru
Jaú
Barra Bonita
Marília
Assis
Lins
Ourinhos
Avaré
Paraguaçu Paulista
Pederneiras
Birigui
Bariri
São Manuel
Botucatu
Garça
Presidente Prudente
Valparaíso

"Essas são apenas algumas das cidades onde já foram confirmadas paralisações e manifestações, contudo, até o final da semana, mais cidades irão se juntar à essa lista. As Federações Sindicais (FINDECT e FENTECT) estimam que a paralisação vai afetar 80% de todos o território nacional. Todos os sindicatos da categoria aprovaram a deflagração de greve em assembleia", finalizou o sindicato. Fotos do primeiro dia de paralisação.

 

(do 14News)