DINHEIRO 29/01/2018 15:13

Seis práticas que trazem economia de energia à sua geladeira

Geladeiras têm classificação de economia.

O calor intenso das temperaturas mais elevadas do Verão provoca uma alteração nos hábitos de consumo de energia dos brasileiros e no funcionamento dos eletrodomésticos. Nesta época do ano, é preciso tomar alguns cuidados especiais para que a busca pelo conforto e bem-estar não gere uma dor de cabeça no final do mês com uma conta de luz mais elevada. E um dos equipamentos que mais requerem atenção é a geladeira, uma vez que sua função é justamente manter seu interior em baixas temperaturas

Um dos principais consumidores de energia elétrica no ambiente doméstico, a geladeira tem um agravante: precisa funcionar ininterruptamente por 24 horas para preservar os alimentos, o que dificulta o controle de sua eficiência. No Verão, o eletrodoméstico supera o chuveiro e o ar-condicionado, podendo representar, em média, de 23% a 30% do valor total da conta de energia mensal.

De acordo com o gerente de Eficiência Energética da CPFL Energia, Felipe Henrique Zaia, o consumidor, ao adotar algumas medidas simples e mudar os seus hábitos de consumo, pode atuar para que a geladeira não seja o vilão da conta de luz no final do mês. "Há algumas práticas inteligentes, desde a escolha do modelo mais adequado até o local de instalação do equipamento, que podem trazer um benefício na economia de energia do lar", ressalta.

 

Confira seis dicas de como fazer um uso mais eficiente de sua geladeira:

Escolha do tamanho do equipamento. Atente-se às suas necessidades ao escolher o tamanho do equipamento, pois quanto maior, mais energia tende a consumir. De acordo com a média de consumo da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), uma geladeira de grande porte pode gastar três vezes mais que uma de porte menor.

Para avaliar qual o modelo mais adequado ao seu lar, leve em consideração fatores como: a quantidade de pessoas que a utilizarão, a frequência que você faz compras, bem como a quantidade média dos itens que você mantém refrigerado, periodicidade com a qual você recebe visitas, entre outros.

Fique de olho na eficiência do modelo. Ao pesquisar as opções de geladeira do mercado, opte por modelos com o selo A do Procel, que qualifica os produtos mais econômicos e eficientes, atentando-se também ao consumo mensal de Quilowatt-hora na etiqueta. Outra dica interessante é checar se a geladeira traz a tecnologia inverter, que mantém o compressor em funcionamento contínuo, alternando a velocidade conforme a demanda e, consequentemente, eliminando os arranques que aumentam o consumo de energia.

Escolha do local de instalação. Instalar a geladeira em locais que não haja incidência solar e longe de aparelhos que emitam calor, como fogões, fornos e aquecedores, contribui para sua eficiência. Além disso, o eletrodoméstico deve estar distante da parede ou e não ser colocada em locais muito estreitos, garantindo a boa circulação de ar ao seu redor. Verifique a distância recomendada pelo fabricante. Além disso, nunca utilize a parte traseira da geladeira para secar panos ou roupas.

Capacidade compatível com sua necessidade. Se sua geladeira ficar muito vazia, o ar frio escapará mais facilmente ao abrir a porta e ela precisará trabalhar mais para retomar a temperatura ideal. Porém, o excesso de mantimentos também é desaconselhável, assim como encostar recipientes nas paredes internas ou forrar as prateleiras, práticas que dificultam a circulação interna, implicando em maior consumo de energia para manter sua refrigeração.

Regule bem a temperatura interna. A temperatura ideal para o compartimento de refrigeração de alimentos é entre 2 e 4 graus célsius e -15 graus célsius no congelador. Somente opte por desligar a geladeira caso você não a utilize por muito tempo, pois, em temperatura ambiente, ela requer um gasto maior de energia para atingir a temperatura programada.

 Outra prática que deve ser evitada é abrir e fechar a porta com muita frequência ou mantê-la aberta por muito tempo, ações que aumentam a temperatura interna e o consumo de energia. Uma boa dica é dar preferência aos recipientes de cerâmica e vidro ao invés dos de plástico, visto que o material preserva a temperatura baixa do recipiente por mais tempo.

Uma dica interessante é descongelar os alimentos dentro da geladeira no dia anterior ao consumo, prática que contribui para a economia de energia. Por outro lado, colocar alimentos quentes no refrigerador prejudica a eficiência energética do equipamento.

Estar em dia com a manutenção. Fique atento à borracha de vedação das portas. É possível testá-las colocando uma folha de papel entre a porta e a geladeira. Se o papel não se mantiver preso, é sinal de que a borracha não está em boas condições. Também é importante verificar o funcionamento do termostato se o aparelho for mais antigo, assim como prestar atenção aos intervalos de funcionamento do motor, que não devem ser muito curtos, ou ruídos diferentes, como estalos. Identificando estas más condições, consulte um técnico para que ele faça uma avaliação completa.

 Dentro do programa de Eficiência Energética, a CPFL Energia possui projetos que ajudam as pessoas nas cidades da área de concessão das distribuidoras a terem equipamentos mais econômicos. Em alguns casos, aparelhos antigos podem ser trocados gratuitamente, caso as famílias não tenham condições financeiras de comprar um equipamento novo. Em outros casos, periodicamente há acordos com lojas de departamento que incentivam a compra de modelos mais econômicos com desconto. Estes projetos são aprovados pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

 

Curta o Facebook do Agência14News e fique por dentro das notícias de Botucatu e região: www.facebook.com/agencia14news

(com Assessoria de Imprensa)